O GARFO

Ontem era um jogo complicado. Sempre é difícil jogar com o time reserva contra os times titulares da série A. Ainda mais os que estão namorando o Z4. Eles chegam, jogam o que não jogaram, vão prá cima e tentam fazer o gol na marra. Por mais que se vença um jogo ou outro desses a tendência é nossos reservas e recém promovidos da categoria de base percam esse jogo. Culpe-se esse nosso ‘maravilhoso’ calendário, que nos obriga a empilhar jogos. Falando nisso, logo ali adiante perderemos três jogadores para amistosos caça níqueis do Brasil na Ásia.

O que não precisava era o juiz se vestir de Fluminense e sair nos garfando, como os apitadores da FGF tem o hábito de fazer. Já era um jogo complicado o suficiente, esse cretino nos sonegar dois pênaltis e liberar a porradaria dos jogadores do Fluminense era desnecessário. Por mais que o Grêmio tenha jogado com vários jogadores a mais, por mais que André tenha feito questão de nos infernizar, perder vários gols e atrapalhar jogadas, é difícil não falar da arbitragem com dois pênaltis escandalosos não marcados. Daí vemos que um certo dono de lojas de CDs que tanto nos atormentou aqui no Sul foi ‘promovido’ da FGF para a CBF e agora parece coordenar as garfadas que sofremos lá por cima, pois cada vez mais os juízes do Brasileirão lembram os Jean Pierres e Daroncos que sempre ignoraram pênaltis e deixaram os times do interior nos bater sem nenhuma consequência…

Teve algo bom? Pelo menos isso. Bom ver que nossa política de categoria de base está tendo frutos. Ferreirinha e Patrick, que entraram ontem, são (mais) dois cheques em branco. O primeiro infernizou a defesa do Fluminense desde que entrou, fazendo tudo que André e Luciano não fizeram enquanto estiveram em campo. Já o segundo… ‘apenas’ fez seu primeiro gol no Brasileirão, logo no Maracanã. O lateralzinho direito que entrou no fim mostrou ser no mínimo tão bom quanto os que temos no elenco. Teremos tempo de ver eles se desenvolvendo no Gauchão do ano que vem?

PS: Não vi nenhuma reclamação vermelha por eles terem sido salvos pelo VAR ontem, com uma interpretação beeeem duvidosa do soprador de apito. É só quando o juiz é forçado a seguir a lei contra eles que isso acontece?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: