O CAMPEÃO ESTREOU GOLEANDO

Uma bela estreia, com goleada e bom futebol.. Mostrou acertos e correções em relação ao ano passado. O primeiro é a questão de se usar um time reforçado e alternativo, deixando o time titular fazer uma pré temporada mais longa e adequada à maratona de jogos que estão por vir e minimizando riscos. Será essencial com a sequência de competições que teremos pela frente. Passa pela utilização de um time alternativo reforçado por atletas do grupo principal, assim como já fora o Banguzinho na década de 90. Dá oportunidade dos atletas jogarem e mostrarem como estão e como podem ser úteis. Tem a questão de não queimar a gurizada, largando na mão deles a responsabilidade de enfrentamento contra equipes mais maduras e profissionais. Aliás, este time reforçado faz ressaltar valores da base e fico com três: Matheus Henrique, Pepê e Jean Pyerre.
Matheusinho se adonou do meio campo, correta e impressionante movimentação coroada com um gol já no final. Pepê dá mostras de seguir os passos de PR32 e Everton, precisa evoluir mais (já evoluiu muito) mas se apresenta como um jogador com potencial e futuro muito interessante. Jean Pyerre é o que a imprensa quer fazer do Sarrafiori. Colocando a cabeça no lugar e não se achando craque antes do tempo será um jogador diferenciado. JP engana ao observador mais desatento, parece lento, mas tem passadas largas e faz a bola rolar com passes certeiros e inteligentes. São outros 3 atletas oriundos da base que começarão a aparecer com cada vez mais frequência no time principal. Gostei bastante do PV, com intervenções seguras. Rômulo fez sua estreia de maneira correta, Capixaba novamente marcando gol mostra que pode ser uma opção interessante (que média de gols impressionante ele está tendo no Grêmio, quase um por jogo, para um lateral é impressionante). Thony Anderson, mesmo fora de seu lugar de origem mostra o acerto de exercer o direito de compra de mais uma parte de seus direitos federativos. Marinho fez seu gol mais rápido que o vídeo polêmico durante as férias. Pediu desculpas à torcida, que me pareceram sinceras. Se seguir comprometido, entrando e fazendo gols, logo será perdoado.
Vi o time manter a mesma mecânica de jogo, com trocas de passes, controle da bola e espaços. Reflete a mão da comissão técnica e do Renato e como importante é a manutenção de um trabalho vitorioso.
 
Não vi ninguém da imprensa questionar o Bolívar sobre a sensação de estrear contra o Grêmio após o jogo. Antes da partida a imprensa estava orgástica com o novo treinador, assim como fora com Clemer Michels. Mais um e virava Grenal.
 
Saudações tricolores

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.