NÃO DESISTI DO MILAGRE

Um jogo em que nada deu certo, esse poderia ser um argumento torpe para Grêmio x Bahia na noite de quarta-feira. Convenceria a alguns, irritaria a outros.

Poderia ser usado o conformismo simplista de que, nem se tivesse mais um tempo inteiro de jogo, o gol nunca sairia. Porque nada dava certo. É, ficaríamos naquela que que “foi um jogo em que nada deu certo” e pronto. A vaga no G4? Pra que, se vamos ganhar a Libertadores? É, deixa pros outros. Lá à frente um perde, outro empata. Os que vem abaixo possuem times limitados, um deles com técnico-tampão e com a corda estourada. Mas é só ganhar a Libertadores e tá tudo certo.

Combinaram já com Flamengo e, possivelmente, River? Não? Mão na massa então! Porque, diante do que tenho visto dos três escretes, o Grêmio é quem mais me preocupa.

Sabemos que nossos problemas começam no gol. O mesmo Paulo Victor que faz grandes defesas, inevitavelmente vaza num lance capital. Os laterais, desisti de comentar. Mas em último caso, improvise-se. A solução definitivamente não é Léo Moura. A meia-cancha tem ótimos nomes, mas se torna um cobertor curto: perde qualidade com Michel, perde marcação com Maicon. Só há lugar pra um, pois Matheus é titular incontestável. Esse aliás, que está tentando fazer as duas coisas, marcar e armar, como fazia Arthur. E ele ainda não é Arthur. Falta muito. Luan é a eterna incógnita, não técnica, mas fisicamente. Não se sabe quando ele estará em sua plenitude novamente, nem se estará um dia. Não sei como JP estará dia 23. Mas acho temerária sua escalação.

Por fim, a “centroavância” ( nem lembro quem criou esse termo, mas ficou bacana…). Tardelli tinha tudo pra ser esse cara. Tinha. Algo não funciona com esse atleta. Não sabemos o que. E não temos outro. Luciano está longe de ser solução, André (vou pular esse), e não sei se há tempo hábil pra inventar, testar algo novo. Aliás, mesmo que houvesse, Renato não o faria. Não é próprio de sua personalidade. Prefere morrer abraçado às convicções ou vencer e atribuir os louros a elas.

A cobrança da torcida após a não-atuação contra o Bahia em casa (que convenhamos, é um time organizado, porém um grãozinho de areia de alguma praia de Salvador perto de um Flamengo no Maracanã lotado) foi forte, e com razão. Em poucos momentos nos últimos dois anos o Grêmio justificou o que vocifera Renato “melhor futebol do país, com resultados”. Vamos admitir, mesmo cansado, o Flamengo ainda apresenta um futebol mais consistente. E pro jogo de lá, a escala da arbitragem foi meticulosamente selecionada. A favor deles, é claro.

Sem interpretações distorcidas, precisamos de um “pequeno milagre” pra sair com a vaga à final.
Acreditamos ainda no “milagre”? Claro que sim! Senão não seríamos GRÊMIO! Somos o único clube das Américas acostumado a calar Morumbi, Pacaembu, Vila Belmiro…templos do futebol que viram os monstros mais sagrados da riquíssima história do nosso futebol, e que já silenciaram diante do Imortal. E o Maracanã, de duas finais de Copa do Mundo, também já experimentou o silêncio de uma arquibancada abarrotada, diante da festa em azul, preto e branco em seus domínios.

23 de outubro será a noite pra passar por cima de todo e qualquer eventual desarranjo que nos está acometendo, e mostrar mais uma vez que o Grêmio cala! Será a noite pra nos apegarmos à nossa mística de calar caldeirões, e mais uma vez sermos finalistas da Libertadores da América.

Estamos preocupados e confiantes, talvez não nessa ordem. E só as quatro linhas poderão nos mostrar qual dos dois sentimentos melhor condiz com a realidade.

FOTO: LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA

2 comentários em “NÃO DESISTI DO MILAGRE

  • 18 de outubro de 2019 em 14:23
    Permalink

    Belo texto, o Grêmio deveria jogar dia 23 no 3-5-2 com PV – DB-Geromel-KAN – Alisson – Maicon ou Michel – MH – Luan/JP – Cortêz – Everton e Tardelli, ou até mesmo, no 4-4-2 com a primeira linha de 4 com Paulo Miranda – David Braz – Geromel e Kannemann, Maicon, M. Henrique – Alisson – Luan – Eventon e Tardelli, o Renato tem que fazer algo diferente porque se jogarmos o que jogamos na partida de ida vamos ser humilhados no Maracanã.

    Resposta
    • 18 de outubro de 2019 em 19:36
      Permalink

      Amigo, uma análise interessante. Algo novo precisa ser feito. Vamos aguardar a próxima tacada do Mestre Renato.
      Abraços Tricolores!

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: