07/12/2016!!!

07/12/2016 – Esta data ficará marcada na minha memória e de todos gremistas. Há exatos dois anos o Grêmio retomava o caminho das grandes conquistas e ganhávamos a Copa do Brasil. Nossa Quinta taça neste certame e sedimentávamos a alcunha de “Rei de Copas”. Uma belíssima definição da nossa alma Copera.

Quinze longos anos se passaram sem que o gremista pudesse explodir em êxtase por um título nacional. Parecia que uma nuvem negra havia pousado em cima do Grêmio e ali permaneceria nublando nosso horizonte por todo o sempre. O último título nacional havia sido em 2001 (minha filha mais velha então com 7 aninhos, pouco se lembra), morávamos em São Borja na época daquele time do Tite que encantou o Brasil por seis meses e trouxe o Tetra. Desde lá, nos mudamos, morei no Paraná e São Paulo até retornar a Porto Alegre em 2007. Na volta a POA, minha filha me acompanhava a todos os jogos no Olímpico e sempre rolava uma pergunta: “Pai, quando a gente vai ser campeão? ” “O Grêmio é campeão. Nunca deixou de ser e vai ser sempre! ”, era minha resposta. E tentava mostrar uma empolgação nesta frase como que para confortá-la e para que acreditasse nisto com todo seu coração tricolor.

Em 2009, chega minha segunda filha, 15 anos depois da primeira. Parecia um presságio do tempo de purgação que nos estava reservado. Logo começou a frequentar a escola e alguns anos depois, a também me acompanhar aos jogos, só que agora na Arena, nossa nova casa. Não tardou muito para começar a entender o poder da flauta existente aqui na nossa terra, com coleguinhas colorados sempre apontando os anos sem títulos do nosso Grêmio. E voltei a escutar aquela pergunta que me rasgava a alma, doía no coração: “Pai, quando o Grêmio vai ser campeão? ” Agora na voz da minha outra filha, que nunca havia visto o Grêmio campeão como eu vi. Como queria poder fazê-las sentir e perceber o Grêmio vitorioso, que finalmente compreendessem esta loucura que é um Grêmio completo na sua essência, campeão, multi-campeão, imortal… minha resposta seguia impassível: “O Grêmio é campeão, sempre foi e sempre será. Não deixa os outros te dizerem o que somos. A gente é… ” convicto deste sentimento. Sempre senti o Grêmio campeão. Faltava elas também sentirem.

Que noite a do dia 07/12/2016. Finalmente naquele apito ao final do jogo explodiu todo o sentimento represado, a felicidade, a loucura, a sensação delas poderem sentir o que é o Grêmio Campeão. Tudo aquilo que eu vinha trazendo no peito, a angústia, a ânsia de poder ter minhas filhas sentindo tudo o que eu já sentira com o Grêmio, o orgulho de caminhar de peito estufado sabendo que a gente é sim Campeão. SENTIR isto é inenarrável. Poder compartilhar com elas aquele dia, aquela festa, romper num choro abraçado nas duas e virar a madrugada na Goethe, no Parcão, berço da nossa primeira casa, num título trazido pelas mãos do Renato, meu ídolo maior no Grêmio não tem preço. É algo que até hoje me emociona. Muito. 2016 será eterno na minha lembrança, saímos da fila e ainda vimos o rival rebaixado.

Ah, e o Volódia estava junto, tornando a comemoração completa. Comemorar um título entre os seus e amigos é sensacional.

Saudações tricolores

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: