UMA PARTIDA DESNECESSÁRIA

Exatamente isto. Desnecessária.

Hoje não passei pelo Hospício. Conversei “en pasant” com Cavalcante, nosso porteiro, troquei algumas mensagens com Paulo Egidio e Volódia e outras várias no grupo de internos do Hospício. Em geral falamos mais sobre terça-feira, sobre o chororô da turma aquela do time mais beneficiado por arbitragens no brasileirão do que sobre a partida contra o Sport. Era como se não houvesse jogo neste sábado.

Fui para a Arena e chegando lá, o clima era o mesmo do Hospício. Havia muitas crianças (show de bola ver crianças no estádio, me alegra ver que a paixão pelo clube e ambiente de jogo vai seguindo adiante), famílias, encontrei alguns que era a primeira vez que visitavam a Arena, a partida era o que parecia menos importar. Dava pra sentir no ambiente o desejo de pular logo para terça-feira, estávamos lá todos os pouco mais de 13 mil torcedores que se fizeram presentes na Arena cumprindo nosso compromisso de estar junto do time, mas o sentimento no estádio não era de envolvimento com o jogo. Não entendam mal, mas se tivéssemos um controle remoto como do filme Click, não duvido que se desse um fast forward coletivo e se avançasse direto pra terça-feira. Falando por mim, não me faria falta ter descartado este jogo. Meu foco está todo na terça, no grande desafio que teremos. Na chance de irmos para mais uma final, a segunda da Libertadores em dois anos consecutivos. Há 17 longos anos o time campeão não chegava a final do ano seguinte e podemos quebrar este marco.

Foi um jogo bosta, incrível sair perdendo para um time bem inferior por dois a zero, buscar o empate, ceder a vantagem, buscar novamente o empate para levar outro gol. 4 gols numa única partida. Do Sport. Em casa. O ataque funcionou, o sistema defensivo sucumbiu pavorosamente. E é o que tenho a comentar sobre esta partida que poderíamos ter ficado sem.

Fui saindo da Arena e liguei na Radio Hospício para acompanhar a entrevista do Renato e o Recolhendo os trapos. Ouvi a Dra Rosalinda, perfeita nas colocações e comentários, Paulo Egidio e Ramiro. E comecei a me dar conta que mesmo tendo perdido por 4 x 3 para o Sport, dentro de casa, o resultado pouco me afetou, a cabeça continua na terça, no entorno da Arena, no churrasco entre amigos, na fumaça, no alento, na expectativa de termos Luan e Everton, na entrada do time em campo, recepção e festa da torcida, no jogo e na nossa classificação. É, acho que até o time estava com a cabeça na terça contra o Sport.

Lembrança da Dra Rosalinda: ano passado perdemos também de 4×3 para este mesmo Sport. Ano passado fomos jogar contra o Botafogo sem Luan lesionado. Sinais, sinais, sinais. Que venha logo a terça-feira. Que venha o River. Que venha a classificação e a final!!!

#QUEREMOSACOPA

Saudações tricolores,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: