SAÍMOS DA COPA DO BRASIL 2018

Saímos de uma das 3 competições que disputávamos e nunca é bom sair, nunca é bom perder.

Frustração, indignação, busca por culpados, terra arrasada, de repente nada mais faz sentido e está tudo errado. Mas não é assim. Respira: inspira, expira, inspira, expira… Dá uma clareada nas ideias.

Como eu vejo: viemos sempre nos reinventando desde 2015: saiu Giuliano e apareceu Ramiro por ali. Saiu Wallace e apareceu Michel. Perdemos Maicon e Douglas por lesão, apareceu Arthur e se redefiniu o time em campo, com Luan mais recuado. Sai Pedro Rocha e Fernandinho se mostra útil. Este ano Everton estoura. Sai Arthur e estamos buscando ainda a reformatação do time. Tivemos muitas lesões o que dificultou o encaixe. Ainda não apareceu alguém pro lugar do Arthur (pode ser Michel, Matheus Henrique…) Podemos mudar a estrutura de ataque de novo. Mas leva algum tempo para encontrar e sedimentar uma nova forma de jogar. Estamos bem no meio desta transição. Isto também pesa. E algumas mudanças se fazem também necessárias, o campo não mente.

Perdemos para o flamengo, não foi pro Vitória. É um jogo entre iguais. Nada de anormal sair pra eles. Assim como não teria sido se tivéssemos nos classificado.

Disputamos 3 competições, com restrições de grupo (não somos um clube nababesco e temos sim dificuldades financeiras), com rodízio, reservas mas com altivez em todas as 3 ao mesmo tempo. O abatimento com o resultado em geral aflora a irracionalidade no torcedor. Nada mais presta. Tudo está errado, manda todo mundo embora, não se poupa mais ninguém. Não pode ser assim. Não se faz futebol assim. Ao torcedor cabe este tipo de reação. Ao dirigente é negado este direito, este dirige (ou deveria) com mais frieza. Isto não faz do dirigente menos torcedor, mas o dirigente tem a responsabilidade do cargo. E que os nossos sigam com clarividência a frente do clube. Se a cada insucesso jogássemos todo planejamento no lixo viveríamos num eterno recomeçar. Sem maturar e dar tempo de aprendizagem, sem completar ciclos.

Olhando o copo pelo lado mais cheio, os problemas de data se reduziram, (o lado vazio é que é uma bosta a desclassificação). Ficamos todos p…. da vida por cair fora. E não há lado bom pra uma desclassificação como tentam nos convencer quando é do lado de lá. Não num clube como o nosso. Mas olha, essa eliminação pode nos redirecionar o foco no BR. E já faz muito tempo que não levantamos esta taça.

Escrevi antes isto: o mais importante é ter um time que entre em TODAS competições com chances de ganhar. Competir em tudo! E estamos assim. Ser campeão é difícil. Muito. Só um é. A gente quer ganhar tudo, natural. Mas a realidade não é assim. Nem pro Real, Barcelona, Chelsea, Bayern é, mas pra nós tem que ser?

Importante entender por que caímos pra não tropeçar de novo. Bola pra frente. A comissão técnica deverá compreender e saber tirar proveito e fazer uma limonada deste limão.

  • Ah, e os colorados… Eles só tem a importância que a gente dá pra eles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: