Robespierre era Gremista

Hospício Tricolor fura os olhos da IVI da Ipiranga e vaza a reportagem-bomba que eles iriam publicar amanhã na quarta-feira de cinzas.

De ZH
Direto de Paris e Porto Alegre

Fontes da Polícia francesa e estudiosos da Sorbonne ouvidos pela reportagem sustentam que o dirigente e mentor do Terror Revolucionário, torcia para o tricolor gaúcho.
“Foram achados trapos azuis, pretos e brancos”, disse um investigador que quer se manter anônimo, “e mais: ele costumava ir até mesmo a pé até a Place de la Révolution (atual Place de la Concorde) para ver a guilhotina funcionar. É sabido que só gremistas vão a pé”, concluiu o funcionário.
Um professor universitário ouvido pela ZH sustenta o mesmo. O ilustre historiador afirma que Maximilien de Robespierre era fã de Lupicínio, só se vestia de azul e assobiava o hino tricolor quando assinava os decretos de execução.

A notícia caiu como uma bomba na sede da FGF. O Presidente-Conselheiro Isento, Chico Noveletto, visivelmente chocado e emocionado, com lágrimas nos olhos, falou a essa reportagem.
“É impossível sermos coniventes com tantos crimes, ainda mais às vésperas do Gre-nal”. Indignado, o dirigente afirmou já ter tomado medidas: ” eu sou autoridade, vão ter que me respeitar. Reuni na quarta-feira, à beira de um salmão, uma comissão de estudos isenta e decidimos ir a Paris para um mês de estudos, todos acompanhados das esposas. O importante é termos na mão elementos para que o Grêmio perca 19 mandos de campo, 69 pontos e que o MP proíba a Geral de entrar”.
Indagado se isso não sairia muito caro e se as lojas multisom não seriam prejudicadas pela sua ausência, o líder do futebol gaúcho desdenhou dos custos. “É um baita investimento. Temos uma sede de causar inveja no Rio de Janeiro! Estão sempre querendo nos diminuir. Essa despesa a gente ressarce cancelando a segunda e terceira divisão do gauchão e cortando a verba do interior. Quanto à multisom, ela não dá lucro, faço para ajudar. Eu depois assino uma exclusividade de distribuição de ingressos e pronto, resolvido”.
A ZH resolveu ouvir seus colunistas sobre o assunto. Justo Guerra foi enfático “deve ser por isso que a Arena não lota”. Diogo Pipoca disse apoiar a iniciativa e arrematou “haverá um bom público no aeroporto para recebê-los no retorno”. Zini previu que isso valorizará o passe de Damião. Leonardo Oliveira afirmou que os holofotes sobre o rival estimulam o inter. Pedrernesto Jabba Legado DeJardim viu por outro ângulo: “francês chamado Maximilien? Aposto que é veado”. E Mauricio Sable Pissée SóRaiva arrematou: “por isso que é hora de falar do inter de 2006”.

leia em sua ZH

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: