Parimos uma bigorna, estamos classificados

Ausentei-me porque dormi demais.

Sim, foram alguns dias me recuperando de uma intoxicação do gás da cozinha. A chama estava acesa, mas bateu o vento, apagou e me esqueci completamente que havia deixado assim, pois não coloquei a panela no fogão, sim a usei com a colher de pau para alentar ao lado dos amigos da Geral, como bem dedurou dia desses nosso Egídio. Após quase explodir com o Hospício Tricolor, recobrada a consciência, soube que tivemos resultados ruins em sequência. Pelo visto e lido (IVI & Justinos), o desespero já me tomava conta, cheguei a imaginar que o TAS poderia dizer que não tínhamos ganho nada nos últimos anos, apresentávamos um déficit no orçamento, nosso futebol era precário e o canal do youtube fora encerrado pelo Google. Ufa! Foram apenas devaneios. Os escores horríveis da sequência de 0 a 0 contra dois pequenos no Brasileiro e vitórias magras na Libertadores causaram esse desconforto. Não perdemos! E isso já é importante.

Na gelada noite passada, aliás, parimos uma bigorna, como dizem os antigos. Mais difícil que nascimento de elefante atravessado na placenta, mas com time misto, dessa vez, furamos o bloqueio de outra equipe que jogou a se defender por 90 minutos. Aqui vai uma sugestão, diga-se de passagem, ao nosso Alex Ferguson dos Pampas. Trabalhar o chute de média distância a fim de passar por cima desses ferrolhos. Assim aconteceu o nosso gol, a partir do atual melhor jogador da América (que não leva guampa), diante do Defensor, garantindo a 2ª melhor campanha da fase de grupos da Copa. Queremos mais. Queremos o Tri, o Tetra, o Hexa, não necessariamente nessa ordem. Buscaremos!

Se me perguntassem antes do vazamento citado no começo desse texto, afirmaria que a parada da Copa do Mundo seria prejudicial ao Grêmio, por conta do melhor futebol do país orquestrado e jogado. No entanto, com tanta lesão nos últimos dias, inclusive novamente algumas no GREnal (coincidências ou pontapés e sarrafos?), teremos tempo para recuperação, uma mini-pré-temporada bem realizada e a volta das principais peças de nosso elenco, como Geromel da Rússia, Everton, Alisson, Jael e Arthur do DM. Até lá, algumas peleias pela frente no Brasileiro: Ceará (F), Fluminense (C), Bahia (F), Palmeiras (C), América (C) e Sport (F). Sendo realista dá para conquistarmos 18 pontos. Sendo otimista, uns 13 seriam importantíssimos. Menos que isso, me preocupo, porém, sabendo que voltaremos ainda mais fortes, com toque de bola mais refinado ainda, ciente de quem serão os adversários na Copa do Brasil e na Libertadores.

Para encerrar, porque a cabeça ainda dói, talvez seja o efeito do butano na corrente sanguínea, reitero para que acompanhem nossa Rádio Hospício, não se deixem iludir com os que fazem terra arrasada (ratificando sempre que ninguém aqui fica feliz com empate ou derrota, mas né?) e tudo que a IVI disser, saibam que é o contrário ou informação plantada na cabeça dos ouvintes. Por falar em cabeça, lembrei do cabezón e sua galhada, mas isso é assunto para outro dia.

Um abraço,

Gui Zado, o Cozinheiro.

FOTO: LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA
FOTO: LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: