Paranoia

Sem pesquisar muito lembrei de dois janeiros bem piores que esse.

Uma das reclamações que mais ouço quando estou desancando a IVI é que sou paranoico. Que não posso ser contrariado, que os nobres jornalistas pegam no pé dos colorados também… será?

Já escrevi mais de uma vez, é muito difícil ser gremista por aqui. Quando o time gremista está bem há uma frenesi para criar uma crise por aqui. Isso pode ser facilmente comprovado: é só ver os últimos dois anos inteiros. A imprensa reclamando de todas as contratações (não éramos o time mais ingênuo da Libertadores ano passado?), que a direção tá gastando pouco, que a diretoria é chorona (quando o time é roubado e alguém reclama), que os jogadores são politicamente incorretos (pois retrucam as provocações alheias, vide o ‘incidente’ Sasha)… tudo é motivo para queimar o time.

Há algo parecido do lado vermelho? Não, não há. Pelo contrário, há uma vontade louca de provar que o colorado está em seu auge. Parece que ainda acham que estão em 2010, esperando a final com o Inter de Milão e estão prestes a ultrapassar o Grêmio em títulos internacionais. Aliás, esse é um jogo que parece não existir para a imprensa. Só foi lembrado quando Jabba the Pedro começou a torcer desesperadamente por um Pachucazo, para ‘igualar’ o fiasco colorado. Sinto dizer que não ia igualar: enquanto o Pachuca é um time tradicional, de 125 anos, acostumado a jogar torneios internacionais. Por sinal jogou uma Recopa Sulamericana com o colorado, quando foi considerado grande por toda a imprensa gaúcha (pelo menos na hora de cornetar os gremistas). Já o Mazembe… é um time da savana africana, sem tradição nenhuma fora da África. Não tem comparação, simples assim,

Conversando com meus amigos colorados sinto um verdadeiro medo do que pode acontecer esse ano. No jogo contra o Brasil de Pelotas ouvi frases do tipo ‘jogando assim caímos de novo’, ou ‘vamos ser goleados quando jogarmos contra um time grande’. Não vi nada parecido com isso na imprensa. Bem pelo contrário: tudo são elogios para o time colorado. Como o time tem um ataque ‘invejável’, como foi bom ninguém ter saído, como o ano tem tudo para ser ótimo. O time perdeu um jogo no Gauchão com o time titular? Foi a melhor partida do ano, uma derrota para acertar o time.

Já com o Grêmio… vamos ficar só com um artigo recente, de um dos mais notórios integrantes da IVI. Sim, do barbicha de bode pintada com água de salsicha. Ele publicou um artigo semana passada sobre ‘o pior janeiro da história do clube’. Tudo por causa do início irregular no Gauchão. E ainda urrou sobre crise financeira, sobre a não vinda de reforços… como gremista eu posso lembrar de janeiros beeem piores para o time. Alguns exemplos? Sem pensar muito… 2004. O time que quase foi rebaixado sendo desmanchado, todo mundo que jogava alguma coisa saindo, só ficando os juniores e aqueles que não conseguiam sair daqui, junto com isso a certeza que éramos candidatíssimos a sermos rebaixados no fim do ano… 2005… o time começando o ano com seis jogadores, sendo três goleiros. Mario Sergio desembarcando e reunindo jogadores que topavam jogar vir de graça, com o passe na mão, ou quase isso. E a torcida achando que aquele time não subia da segunda divisão e era capaz de decretar falência ou fechar. Sem pesquisar muito lembrei de dois janeiros bem piores que esse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.