O MOMENTO DO GRÊMIO E SUAS EVIDÊNCIAS

Vamos Grêmio, vamos cortar esse mal pela raiz!

Caminhando pelos corredores gélidos deste Hospício, passei a refletir sobre os tratamentos médicos e os fatores que levam ao seu sucesso e insucesso. Existem ‘n’ exemplos de pessoas que, ao passar pela experiência de uma doença grave e, posteriormente, encontrar a cura, passam a aproveitar, valorizar e viver a vida de uma forma muito mais feliz e saudável. O simples fato de ser diagnosticado com uma doença que pode lhe custar a vida, já muda radicalmente a forma de vivê-la. Além da sua atual condição médica, a maneira com que essa pessoa irá encarar essa nova rotina e lidar com o desafio da enfermidade é o que vai potencializar ou não as chances de sucesso no tratamento.

Assim, podemos usar essas situações de exame, diagnóstico e tratamento, como uma analogia ao atual momento do Grêmio, que acabara de passar por uma série de testes do seu real estado de saúde. Desta bateria de exames, ontem, o Grêmio fez o mais complexo deles e que deixou em evidência alguns diagnósticos. É evidente que com a saúde 100%, as chances de conquistar a vitória na noite passada diante do Palmeiras seriam muito maiores. É evidente que precisamos de reforços na lateral direita, no ataque, na zaga… É evidente que André ainda não encaixou, que Luan sofre rodízio de faltas, que o Grêmio respeita mais o adversário do que é respeitado. É evidente que precisamos de mais objetividade, agressividade, melhorar MUITO a bola parada e também o último passe…

Em meio a tantas evidências, vamos fazer uma pausa nesta analogia e trabalhar com futuro e possibilidades:

E SE!

E SE estivéssemos com força máxima, jogando bem como semanas atrás e conquistado a vitória em cima do melhor elenco do Brasil?

E SE ingressássemos na parada da Copa do Mundo achando que tudo está às mil maravilhas e que basta apenas a continuidade para o sucesso?

Quais seriam as consequências destes E SE?

Não podemos prever o futuro, mas podemos tomar decisões que o influenciarão. Quem planta, colhe. E quem planta na época certa, colhe com mais qualidade.

Talvez, é esse o diagnóstico que o Grêmio precisa fazer. Rever sua saúde e realizar o tratamento correto, de imediato. Pode parecer clichê, mas quanto antes uma doença é diagnosticada, maiores são as suas chances de cura.

Mas voltando ao E SE…

E SE essas evidências já diagnosticadas viessem à tona somente no segundo semestre, em jogos que valem a classificação e não apenas 3 pontos?

O alerta foi ligado, é evidente. E foi ligado no melhor momento possível. Onde ainda é possível errar sem sofrer graves consequências. Onde ainda é possível lamber as feridas e aprender com os erros. Onde ainda há tempo de tratamento eficaz e, consequentemente, cura.

E é por isso que eu amo trabalhar com PREVENÇÃO.

Vamos Grêmio, vamos cortar esse mal pela raiz!

Grande abraço, Rosalinda, a médica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: