Tonho – O Assador

私は鳥を恐れている。

Tonho: Nascido em Rosário do Sul como Antônio Godoyevsky Nixon, cresceu e se criou na República Foster. Desde cedo vagou por várias profissões dignas como técnico em assado de felinos em eventos desportivos, oficial de reciclagem de alumínio, até chegar ao fundo do poço como jornalista esportivo. Descoberto pelo governo Foster nesta atividade subversiva e inútil para a cultura humana, tornou-se um fugitivo e acabou exilado politicamente no Rio Grande. Infelizmente continuou ligado ao vício do cronismo esportivo crônico, tendo trabalhado em diversas empresas do ramo, sempre assistindo jogos de péssima qualidade do Gauchão e de clubes cuja sede fica em aterros. Finalmente foi escalado para um jogo do imortal tricolor e, com o choque de assistir finalmente um bom futebol de um clube honrado, curou-se e largou a mídia para se dedicar inteiramente ao Grêmio e ao Hospício Tricolor, onde finalmente encontrou seus pares. Seus hobbies são assistir replays de jogos para ver se o resultado muda e mandar cartas ameaçadoras aos seus desafetos em Foster. Seu maior sonho é ver o Grêmio novamente vencendo o Mundial e se tornar ditador plenipotenciário no Brasil, para invadir Foster.

Pontos Fortes: Poliglota, fala Rosariense e Fosteriense, além de saber preparar uma picanha felina com maestria.
Pontos Fracos: Conheceu Terezinha Morango no sentido bíblico, desde então não consegue comer frutas. Tem medo de aves (não existem em Foster).

Fale com Tonho no email tonho@hospiciotricolor.com.br e através do Twitter @xxxx ou imite uma galinha, ele será o cara correndo desesperado – basta seguí-lo miando que se acalmará.

Tonho é um personagem de Bruno (todos os direitos reservados)