O CHORO DO SOLDADO E O DEBOCHE DO INIMIGO

Porto Alegre, 30 de outubro de 2018.

Chove na capital dos gaúchos. Pulsa uma Arena encravada no humilde Humaitá, no embalo da frenética torcida do maior clube das Américas. Os encharcados torcedores sob os trapos não deixam dúvidas: é noite de Libertadores!
Lá vai um Grêmio copeiro e peleador, sob a batuta do maior de todos os Imortais, Renato Portaluppi, o padeiro que virou craque, treinador e colecionador de faixas…o ponta-direita fanfarrão e irresponsável, conhecido boêmio das madrugadas tenras e inebriantes de Ipanema, agora treinador calculista e gremista de fé, sempre com uma resposta arrebatadora às inúteis provocações da IVI. Vai o Grêmio de Renato rumo ao Tetra América, o reencontro com o Boca e o Real Madrid para a tão esperada dupla revanche…
Eis que, de um minuto pra outro, o fator Bressan!
Paulo Miranda, soberano no jogo, pagou o preço que nós, Tricolores, tiraríamos do bolso pra que ele permanecesse…as pernas não obedeceram. Saiu, e entrou o que sobrou, o pobre Bressan.
Um amarelo absurdo sem sequer tocar na bola (claro que devidamente arranjado pela mesma máfia que achou correto o Muñeco participar do jogo sem estar habilitado para tal), um “pênalti” em que ele sequer muda a trajetória da bola, como pede a “soldadinho do passo certo” FIFA.
Dentro dessa terra sem leis, imperou a vontade argentina e estamos fora. Gallardo e sua equipe morrem de rir.
E quem pagou a conta foi o Bressan. O pobre Bressan, que veio num pacotão, vestiu a camiseta, defendeu nosso Imortal dentro de todas as suas limitações, sempre trabalhou de forma honesta, jamais reclamou e pegou o rojão aceso sem titubear…esse é o grande vilão??
Pois é…
O “muñeco” Gallardo, que por sua vez, participou ativamente da partida sem estar habilitado para isso, está sendo considerado “corajoso” e “malandro do bem” por pessoas do meu círculo de amizade
…belíssimo exemplo para seus filhos meus amigos!
Tenho pena de alguns torcedores…e pra que não me julguem doido, claro que não quero mais que o Bressan jogue pelo Grêmio! É muito menos do que precisamos. Mas o que fizeram com o guri após aquele jogo em que fomos descaradamente roubados foi uma covardia.
O choro do Bressan ao final daquela chuvosa noite, é o meu, o seu, o de todos os Tricolores de fé, que viram mais uma vez um título deslizar por entre os dedos por culpa de uma arbitragem fria, imprestável e inconsequente. Uma arbitragem que valida um gol ridículo de mão, e inventa um pênalti que não está na regra. A não ser que a regra indique como pênalti desviar involuntariamente uma bola que iria em direção à Lua…mas não consegui achar isso no livro de regras que tenho em mãos.
Bressan não joga mais pelo Grêmio…justo, por sua limitação técnica.
Mas jamais o escolham como vilão da Libertadores 2018.
Seria uma maneira simplória de camuflar todas as pilantragens às quais estamos sendo vítimas desde que a IVI ganhou a força que hoje possui, com ramificações pela América do Sul inteira, desde o nascimento de seu clube de estimação em 2006.
Esculachar o Bressan, ou qualquer outro cidadão que, ao vestir nosso manto, faz o possível para honra-lo, é criar um espetáculo pra IVI bater palmas de pé.
Aliás, o único momento em que a IVI pode sentir-se ao menos acima da linha do horizonte.

Adri “Argentino”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: