Lesão do Douglas hoje faz um ano

Desejamos sabedoria aos nossos médicos, força e paciência ao nosso meia-pifador, e esperança para nossa torcida!

Foi em um treinamento na manhã de 8 de fevereiro de 2017, exatamente um ano atrás, que o meia Douglas chocou-se contra um companheiro e rompeu o ligamento cruzado posterior – ACL (anterior cruciate ligament em inglês).

Em entrevista ao Globo Esporte no dia posterior, o médico Paulo Rabaldo estimou sua volta entre 4 e 6 meses, salientando a hipótese de volta em apenas 4.

– A recuperação é de quatro a seis meses. Vai depender de fatores biológicos do paciente, cada um tem um tipo de cicatrização. Uns mais rápido, outros mais lento. É um atleta de alta performance, com excepcional musculatura. E um passado com pouquíssimas lesões – disse Paulo Rabaldo ao GloboEsporte.com.

Em 13 de fevereiro, Douglas foi operado e recebeu em enxerto no ligamento lesionado.

Quase oito meses depois, em outubro de 2017, quando se preparava para estar à disposição para o enfrentamento contra o Barcelona de Guayaquil pela LA, rompeu o ligamento operado em um treino, tendo que se submeter a nova cirurgia.

Em nota oficial, disse o Clube:

“O meia Douglas voltou a sentir dor no joelho operado, agora com sinais de instabilidade. Exame de ressonância mostrou lesão do enxerto do ligamento e o atleta passará por nova cirurgia. O procedimento deverá ocorrer no início da próxima semana e será conduzido pelos médicos do Grêmio Márcio Bolzoni e Felipe do Canto”.

Atualmente o Grêmio estima que o atleta volte aos treinos físicos em maio, e ao campo em final de julho.

Mas afinal o que é o ACL e qual o tempo de recuperação recomendada?

Howard J. Luks, um dos top 10 especialistas nos Estados Unidos diz:

– As estatísticas podem ser assustadoras. Você tem um risco de 45% de romper seu novo ligamento se não tiver reabilitado seu joelho de maneira total. Este risco pode ser diminuído entre 18-20% com um treinamento adequado. Infelizmente, uma vez que você rompe o seu ACL, sempre estará em risco de romper novamente.

O prazo dado pelos médicos do Grêmio na oportunidade da primeira lesão foi EXTREMAMENTE OTIMISTA, mesmo com as considerações sobre o bom estado físico do atleta e seu baixo histórico de lesões.

Outro top especialista ouvido sobre o tema, Dr. Scott Slattery, diz:

– Apesar de algum sucesso em retornos imediatos ao esporte, a maioria dos cirurgiões se perguntados vão admitir que há aumento do risco neste retorno de atletas de nível profissional, antes de 9 à 12 meses.

Observe-se a diferença na recomendação americana em relação aos médicos brasileiros. De 4 à 6 meses no Brasil, de 9 à 12 nos EUA.

Continua o Doutor Scott:

– Na minha opinião, muitos estudos científicos apoiam esta tese. No recente encontro da especialidade em Seattle, foi apresentado um estudo feito em pacientes jovens que demostra que quase a totalidade deles ainda apresentava déficit de controle neuromuscular após 11 meses.

O mesmo especialista afirma que antes de plenamente readiquirido este equilíbrio muscular, é temerária a volta do atleta profissional em esportes como o futebol.

O lado positivo é que, feita a recuperação integralmente, a estatística mostra que 80% dos atletas conseguem retornar às suas atividades esportivas.

Desejamos sabedoria aos nossos médicos, força e paciência ao nosso meia-pifador, e esperança para nossa torcida!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: