JOGÃO

Tinha toda tensão antes do jogo, a questão da suspensão Geral, tensionamento pré-jogo, a banda, as proibições da CONMEBOL, o jogo em si, o placar do jogo de ida. De repente uma não classificação joga tudo na vala comum, mesmo os acertos, nada mais presta, tá tudo errado, fora Luan, fora André, acabou o ciclo do Renato… É difícil. Tem muita coisa envolvida. Claro que o time precisa evoluir. Claro que nos falta objetividade em determinados momentos. Mas quando não der de um jeito precisa ser na vontade. No jeito Grêmio de ser. Ontem o time não jogou mal. Os números mostram isto, amassamos o Estudiantes, que é sim uma boa equipe. E fomos ganhar do jeito mais Grêmio possível, com gol no último minuto e nos pênaltis. Sim, com.5 pênaltis muito bem batidos. Um jogo destes é pra ficar na memória. Levei minhas filhas e minha sobrinha. Muito legal ver a mais nova, que tem 9 anos, envolvida com o jogo, nervosa, angustiada, gritando, comentando, todas elas cantando as músicas e alentando o time, vibrando, rindo, comemorando no gol (nos abraçamos, pulamos, joguei a mais nova no ar, várias vezes) e com frustração no empate. Pra explodir numa euforia incontida naquele gol do Alisson aos 48.minutos do segundo tempo! Nervosas nos pênaltis (assim como eu e todo mundo a nossa volta), gritando o nome do Marcelo no intervalo entre uma cobrança e outra. Chorando na classificação.
Este é um jogo pra se ir com os filhos. É um jogo que fica na memória afetiva. Que noite, que jogo. Que bom que deu tudo certo.

Saudações tricolores

FOTO: LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA
FOTO: LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: