É amanhã!

Já somos vitoriosos porque somos todos gremistas.

Serão as vinte e quatro horas mais longas de 2017. O mundo está à beira da extinção. Em menos de 24 horas entraremos em campo e mostraremos ao mundo a Insanidade Copeira da Alma Tricolor. Ninguém agüenta mais de emoção, para lhes dizer a verdade e, aqui pelos corredores do Hospício, a esperança pelo título e a torcida não pararam desde terça-feira. Ao contrário, cada minuto que passava aumentava tanto a vontade de chegar logo o jogo de amanhã quanto a certeza incontornável que o bi mundial chegará e coroará um ano mágico. Na verdade, um biênio inesquecível.

Já somos vitoriosos porque somos todos gremistas cujos corações batem em uníssono! Qualquer seja o resultado de amanhã, somos inigualáveis porque chegamos à final, somos um dos dois maiores clubes do Planeta e chegamos lá contra tudo e contra todos. Entendam, porém, essa assertiva: isso não quer dizer que pensamos na derrota. Absolutamente, pensamos na vitória, na consagração e no jogo bonito e vistoso que o Grêmio tem-nos brindado. Só que somos loucos, mas não néscios, daí é imperioso reconhecer que a vitória já nos pertence. Amanhã, quando o jogo coroar nosso sucesso, será, na verdade, uma segunda vitória. Uma consagração, o pináculo da Glória, lugar que é, por merecimento e direito, do Grêmio.

Fifa/Getty Images
Fifa/Getty Images

Vimos os jogos da semi-final. Não são parâmetro para a final. Já dissemos isso à altura das quartas: os jogos são totalmente outros. Na terça, nós jogamos, em momentos, aquém do que podíamos e além do que nos permitia nosso nervosismo. E quem não estaria nervoso ao defender as cores mais lindas do Universo e carregar o lábaro de tantos milhões de gremistas? Na quarta, o nosso adversário de amanhã subestimou o adversário, que vendeu caro a derrota, e via-se nos rostos galácticos que eles não esperavam aquela resistência.

Amanhã, porém, será outra história totalmente distinta. Haverá um jogo melhor e mais aguerrido, haverá disputa cerrada e ferrenha. Serão duas equipes. Uma gigantesca, com uma torcida fanática e um elenco invejável e unido, sem estrelas “galácticas”, mas com jogadores muito bons que têm maturidade e futebol para, no campo, marcar mais uma façanha. De outro lado, um time fortíssimo e igualmente com grande peso da camisa. Jogarão de branco e assim, ousamos vaticinar que serão como fantasmas em campo, espectros perdidos diante dos heróis tricolores. Ninguém acredita em algo que não seja o bi do Mundial.

Não entrarão em campo apenas Luan, Grohe, Ramiro, Geromel, Kannemann, Fernandinho, enfim, os titulares; entrarão em campo com eles Lara, Danrlei, Aírton, Dinho, Mazaropi, Arce, Calvet, Everaldo, Alcindo, Paulo Nunes, o próprio Renato, o meu saudoso avô também estará lá, como estaremos lá eu, tu, cada e todos os gremistas. Isso porque, com o Grêmio, é assim: tudo agiganta-se, tudo se multiplica, tudo apaixona.

FIFA/FIFA via Getty Images)
FIFA/FIFA via Getty Images)

É nisso que todos acreditamos aqui no Hospício. É disso que temos certeza nos corações gremistas. E quando o Grêmio estiver amanhã entrando na cancha, não será o Brasil em campo ou qualquer outra figura de estilo. Será o Grêmio Imortal em campo, pelo Grêmio e para o Grêmio, incluindo aí a melhor, maior e mais inclusiva torcida do RS. Seremos todos que entraremos em campo e ganharemos. Neste momento, porém, é contagem regressiva. É ansiedade, é angústia de esperar… mas com certeza de vitória e apoio incondicional.

Dá-lhe Grêmio, Dá-lhe ô!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.