GREnal é GREnal, mas entendam o porquê ‘deles’ terem mais do que nós

Ganharam até a Taça IVI oficial!

Tic tac do relógio na cozinha gelada e a cabeça não sai lá do aniversário do Renato “Mito” Portaluppi. Sim, domingo ele completa 56 anos e nós gremistas queremos o presente no duelo com o rival, que ele se dará certamente. E vocês já se perguntaram o motivo pelo qual ‘eles’ têm melhores números do que nós em todos os tempos? Já buscaram isso? Pois então, o Cozinheiro aqui que vocês amam (ou odeiam, sei lá) poupou-os de pesquisar e fez o trabalho sujo (como sempre, para quem está invariavelmente com a pia engordurada, prato estilhaçado e arroz queimado, foi barbada). Hoje a diferença está em 25 vitórias. E pasmem, isso aconteceu nos anos 40, quando o clube do PDF tinha o chamado ‘Rolo Compressor’. Na época foram disputados QUARENTA E NOVE clássicos em nove anos. Sim, assim como casais aqueles de treze filhos, onde ainda não existia sequer luz elétrica, deitavam e engravidavam, era assim também no campo. Alguém falava: “Hey! Vamos disputar um match?” E todos aplaudiam, alinhavam os escretes e peleavam (com os rubros saindo-se melhores). Mas esse texto não é para saudá-los, antes pelo contrário, somos loucos do Hospício Tricolor, por isso mesmo chegou a hora de desmitificá-los ainda mais.

Preparados? Primeiro algumas curiosidades. Todos sabem que o maior escore é nosso, os 10 a 0. Fomos sofrer derrota somente na sétima partida. Mas vocês ouviram falar que ganhamos nos Eucaliptos o jogo comemorativo aos 50 anos deles? Pois é, gostam de citar inauguração do nosso estádio, mas não dizem nada sobre os eventos do outro lado. Fora o verdadeiro GREnal do Século, aquele do Maxi López em 2009. Mas adivinhem? Nada nos veículos midiáticos. Aliás, a Associação dos Cronistas Esportivos Gaúchos foi fundada em 1945. Três anos depois ela ofereceu a TAÇA IVI (ops, o nome correto era Taça ACEG). Um doce de quiabo para quem acertar o vencedor do prélio.

Pois é, agora os números fundamentados e devidamente auditados pelo sistema HT de aferição.

– Até 1939 foram 33 vitórias do Grêmio, 9 empates e 19 derrotas. Na década seguinte, citada preliminarmente no parágrafo inicial, eles tiveram 32 vitórias. Ou seja, em menos de dez anos, quase o mesmo alcance que tivemos em 30 anos. Neste mesmo período vencemos somente sete vezes. Eis a diferença de 25 partidas. Mas não seremos rasos. Vamos além. Pois há sim um equilíbrio depois disto e temos vantagens significativas naquilo que realmente importa. Aliás, já pensaram se hoje tivéssemos cinquenta clássicos em nove anos? Certamente diminuiríamos a distância ou mesmo os passaríamos.

– Desde que surgiu o Campeonato Brasileiro, ainda pela antiga CBD e posteriormente a CBF, foram 55 clássicos, onde ganhamos 22 e eles 18. Sendo que de 1980 para cá, quando encerou aquela ‘segunda fase vencedora’ deles, com os anos 70, a diferença a nosso favor é de oito vitórias a mais.

– No mesmo hiato (1970 – 2018), entretanto, os regionais, aqueles sob tutela de Rubens Hoffmeister, Emidio Perondi e Francisco Noveletto, totalizam 145 confrontos (poucos arbitrados por cidadãos Up-Mampituba, diga-se de passagem), com 37 vitórias nossas e 52 deles. Apenas coincidências…

– Copa Sul-Americana, Copa do Brasil, Seletiva para Libertadores (sim, isso existiu em 1999), Copa Sul-Minas e Copa Sul-Brasileira há igualdade de números, com 11 empates, além de uma vitória para cada lado.

Resta portanto assertivamente dizer que na ‘Era Moderna’ do futebol temos predomínio em títulos de expressão, vitórias em clássicos nacionais e tamanho de agremiação (torcida, estrutura, balanço, estádios). Por falar nisso, está em meio à madrugada aqui e preciso dormir, não sem antes dizer que o pensamento voa lá para dia 09 de setembro, às 17h55min, porque cantaremos outra vez “um minuto de silêncio, shhhhhhhhhhhhhhhh… para o Inter que tá morto”.

Um abraço, Gui Zado, o Cozinheiro
P.S.: Se quiserem mais detalhes, basta pedirem ao HT que destrinchamos.

Um comentário em “GREnal é GREnal, mas entendam o porquê ‘deles’ terem mais do que nós

  • 6 de setembro de 2018 em 05:26
    Permalink

    Tem registro,(correio do povo) de um GREnal em 1946 em que o GRÊMIO foi garfeado descaradamente.
    Isso vem de longe, bem antes do Noveletto.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: