Grande Vitória

Existem momentos que se deve exigir uma grande atuação, uma vitória convincente. Não era o caso de sábado. Era meio a zero com gol de chiripa. Bom demais. E foi mais ou menos o que aconteceu.

O Remendão do Grêmio entrou em campo com nove desfalques. E foi prá cima do organizado Fortaleza. Fora alguns contra-ataques eles nunca levaram grande perigo… mas as bolas gremistas insistiam em não entrar. No final, quando já pintava um zero a zero no horizonte e os mais pessimistas já estavam com medo de levar um gol e perder o jogo, o milagre ocorreu. Jean Pyerre pifou e Pepê fez um complicadíssimo gol, tirando a bola do zagueiro e do goleiro. Um a zero. Na circunstância que ocorreu é goleada. Agora é torcer por mais uma vitória na quarta prá dormir durante a Copa América fora do Z4.

Vivemos e não vemos tudo. Um time vermelho comandado por um anão de voz fina que não joga foi para os microfones chorar que o juiz não rouba a favor deles. No nosso jogo os comentaristas de arbitragem vermelhos reclamaram que o Grêmio foi ajudado pelo VAR. O gremista que ainda não acordou e se obriga a ouvir a programação da IVI é um bravo.

PS: Quinta feira Dr John e Serguei já tinham ido. Daí sábado descobrimos que o corintiano André Matos subiu também… na sexta ainda tivemos a subida do cineasta uruguaio Narciso Ibanez Serrador. Essa coluna é dedicada a eles. Ars Longa, Vita Brevis. O homem se vai, a arte fica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: