BOM? NÃO! EXCELENTE 2018!

Feliz ano novo, Gremistada!

Terminou 2017. Semana passada nós, em nossa conversa com vocês, trouxemos uns dados irretorquíveis sobre o nosso bom 2017 e, demais disso, ainda apontamos que um determinado “jornalista”, célebre lá por Tatooine, era anti-gremista e, portanto, baseados em fatos (apontamo-los caso a caso), ele devia ser tratado como o antagonista que é. As reações foram enormes ao texto. Entretanto, a despeito dos elementos de prova carreados ao texto, houve quem tivesse preferido defendê-lo, negando a realidade ululante, chegando, mesmo, alguns, a agredir e xingar os internos do Hospício. Minoria, é verdade, houve ali uma proporção de 15:1 a favor do que o nosso texto defendia, mas aquela proporção de amantes da IVI é inquietante. Ao que sofre com a Síndrome de Estocolmo e morre de amores pelo Jabba Ernesto, chamamos de justino ananás.

Esse ananás fascinado pela IVI e pelo vermelho é igual ao monstro da Panela do Candal. Aqui em Bagé todos conhecemos a lenda, que resumiremos (e adaptamos, por favor, sem taperobagem com a licença poética, certo?): um monstro pacífico que se escondeu na Panela do Candal, escondeu-se porque se sentia perseguido e ferido pelos Soldados de Dom Diogo de Souza. Com o tempo, o monstro, atormentado pelo jejum, cansado de se ver preso em cova inundada, ansiando pelo sol e os pampas verdes, com dor nas feridas, endoideceu e, saindo de uma vez do fundo da caverna, passou por cima de um carroção com dois cavalos e o jovem peão, tragando-os para o fundo das águas da Panela do Candal, esmagando-os e arrastando-os para o subterrâneo. Os defensores de Pedro Jabba são, exatamente, o monstro: até podiam querer lá viver pacificamente no cantinho deles, mas quando põem-se à mostra, arrastam o que vêem pela frente e, na sanha de saírem repetindo o que a IVI publica, não se incomodam de fazer pouco da verdade, matando-a esmagada sob o peso de sua tacanhez e do enorme vácuo que possuem no lugar do cérebro.

Acharam lá um certo exagero? Não é. Vão à página do Hospício ou ao Facebook nosso e vejam lá os poucos comentários desses entojos! De “melhor comentarista do RS” a “vocês estão com inveja”. Parece piada, mas não é… Sabemos que é uma minoria pequena e barulhenta, mas basta um pêssego apodrecido para colocar todo o cesto em risco!

Esses Justinos sorvem as palavras da IVI sofregamente e têm-nas como Palavra da Salvação. São pessimistas inveterados: não têm convicção e vivem da repetição mecânica dos argumentos alheios, copiados às facções da IVI (Ipiranga, Morro, Centro e Orfanotrófio), não conseguindo discernir a diferença de tratamentos ou a agenda positiva para o sci e negativa para nós. Essa grande coleção de ananases vive em estado de excitação constante: tudo é-lhes uma tragédia pontuada a golpes de crise, conforme religiosamente ouvem no Parque dos Dinossauros, por exemplo (aquele programa em que sempre há um “gremista” pateta que faz eco ao Legado, espicaçando o Grêmio e servindo de escada a todo tipo de indignidade).

Justinos são aqueles indivíduos que ecoam as mesquinharias que ouvem dos integrantes vetustos da IVI, que saboreiam uma mortadela de salmão, umas papoulas e umas pipocas, que reclamam insistentemente da “falta de contratações”, que “não temos elenco”, que “não vamos longe”, que “temos de dar atenção ao Gauchão”… Coincidentemente são conceitos e idéias religiosamente propaladas pela IVI, mas os justinos não se dão conta. Janeiro de 2016, o mantra da IVI era que nos estreparíamos e que os vermelhos voariam. Sabemos como foi 2016. Em 2017 foi exatamente a mesma coisa. Agora em dezembro de 2017, o próprio pedrernesto foi o primeiro a minorar nossa vitória na libertadores e a projetar imbecilidades para 2018. Inclusive desfazendo da nossa vitória (lembrem-se do discurso da tradição). E já estamos vendo o que 2018 promete. Só a IVI e, a reboque, os justinos não vêem.

Arroto do Mortadela
Arroto do Mortadela

Preferem ficar ouvindo a turma da Ipiranga e suas previsões catastróficas. Preferem o engodo à verdade. Repetem cegamente que todos estão contratando, que o sci está contratando uns galácticos e que nós estamos no desmanche. A mesmíssima esparrela que foi em dezembro de 2016 e repetem-na em 2017. Podemos ter conseguido dois títulos relevantes e importantes nos dois exercícios, mas o bom, o time correto, é o outro. E nós lá precisamos de torcedores assim?

O calendário esportivo está parado, mas os espaços existem, as colunas têm de ser preenchidas e os “jornalistas” têm de forçar a barra para inventar. Daí vemos as falsas polêmicas, as barrigadas, as malsinadas previsões(chutes isentos sem critério) entremeadas a golpes de rubrofilia! Diretoria esperta trabalha em silêncio. Reflitam! Ou os últimos dois anos não lhes ensinou nada?

Nós, do Hospício, somos independentes e realistas. Loucos, sim, mas não néscios ou ignaros. Criticamos o que tem de ser criticado e aplaudimos o que merece elogios. E eis que não vamos enveredar pelo terrorismo barato e pelo pessimismo sistemático baseado seja em querelas políticas, seja em imbecilidade atávica. A verdade? Temos todas as condições para que 2018 seja um ano excelente. As bases estão sólidas, o trabalho sério e profissional continuará. Das coxilhas verdes de Bagé, dizemos: não estamos minimamente preocupados com contratações ou coisa que o valha. Sabemos que estamos na senda do êxito, da vitória e isso não nos será solapado por causa da estupidez tautológica da IVI e de suas harpias justinas.

Por isso dizemos a todos, a hora é de celebração porque 2017 foi estupendo e 2018 será ainda mais!

Feliz ano novo, Gremistada!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.