Dia dos pais na Arena do Grêmio sempre tem chocolate e show

Há uma semana, neste mesmo espaço, eu disse que o Brasileirão era realidade. Pois bem, continuo com esse pensamento, ainda mais depois dessa goleada com os reservas diante do Vitória. Não significa, obviamente que abro mão das Copas, pelo contrário, estamos vivos em ambas e lutaremos até o fim.

Deu certo o planejamento do Renato “Mito” Portaluppi, poupa quando necessário e mantém o foco nas três competições, embora o mesmo tenha dito em entrevista coletiva que é impossível conquistar os três títulos. Pode ser verdade, mas sabemos que internamente o profissional quer sempre ir além, para marcar ainda mais história, por isso buscaremos esse ineditismo.

O Grêmio goleou com atuação segura de Paulo Miranda (mais uma vez). Jailson foi bem na meia cancha e fez belo gol. Douglas voltou e não esqueceu a sua qualidade de melhor camisa 10 do Estado há muitos anos. A gurizada entrou e deu conta do recado. Éverton atuou pouco e deixou o dele. Enfim, mas alguém há de citar que o adversário era fraco. Ok, candidato ao rebaixamento, porém, quando é assim, temos que atropelar. E fizemos isso. Jael não marcou o gol dele, mas outra vez foi bem, desarmando, sofrendo faltas e dando assistências aos companheiros.

Temos uma identidade criada em setembro de 2016, naquele pênalti defendido por Marcelo Grohe em cima de Wéverton que tentou desmerecê-lo e se deu mal. Crescemos, evoluímos, temos elenco, grupo fechado e vestiário forte. Ah! Salários em dia, ao contrário de uns e outros. As crises que tentam plantar, não chegam sequer na Esplanada, ficam pela Freeway. Podemos ir além. Queremos ir além. Iremos além. Assim como a grande virada se deu no dia dos pais em 2015, com o chocolate diante do ex-rival, novamente mostramos que em casa quem manda somos nós e partimos para a grande atuação no Rio de Janeiro. Que o Vitória se cuide porque tem advogado entrando com recurso para saber quem foi mais humilhado no Humaitá. Eles que se entendam com PDF’S, aspas e imagens comprometidas. Frisemos o que importa, o azul, o preto e o branco. A luta deve ser intensa, quarta-feira é decisão. Será muito difícil para nós. Mas tenham certeza, também será muito complicado para o Flamengo.

Vamos Tricolor, queremos a Copa…

Um abraço, Gui Zado, o Cozinheiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: