DESEJO AZUL E O MAIS NOVO PÉ-QUENTE TRICOLOR

“Sabe que o Júnior não era gremista?”

“Ué, como assim?”

“Quatro anos de idade e nunca tinha manifestado interesse em times de futebol… E então… Faz uns três meses. Cheguei em casa e fui correndo dar um abraço nele, sempre tenho uma saudade… Quando cheguei, percebi que ele tava cantarolando o hino do Grêmio. Perguntei pra ele: filho, tu gosta do Grêmio? A reação dele foi bem clara, era só olhar pros olhos dele. A partir dali, fui ver se o Grêmio tinha algo para torcedores com necessidades especiais, se tinha algum projeto social… foi então que conheci o Desejo Azul.”

Essa foi a primeira conversa que tive com o Josué, e de pronto já me umedeceu ‘as vista’. Esperávamos o elevador, já dentro da Arena. Seguimos conversando alegremente… O elevador ainda não tinha parado de subir os breves dois andares e eu já me perdia nos meus pensamentos… “Como é maravilhoso o futebol, como é maravilhoso ser do Grêmio!”.

E era só o começo. O gráfico de emoções do dia estava só iniciando sua jornada ascendente.

Aumentou. Quando o Júnior foi embalado pela mãe em direção às cadeiras Gold, com o interior da Arena surgindo na sua frente pela primeiríssima vez… ali sim dois ciscos entraram profundamente nos meus olhos.

O guri abriu um sorrisão, arregalou os olhos, bateu palmas… Ele sabia que era um dia histórico, inesquecível, eterno em sua memória (e também nas centenas de fotos que tiramos).

A camisa que o Júnior vestia era a deslumbrante camisa tricolor oficial do Grêmio, de 2018, tamanho infantil, recebida das mãos de outra voluntária do Instituto, um mês antes. Eu, pra não ficar pra trás, dei um boné do tricolor pra ele. Queria fazer um agrado pro menino. Ele gostou, mas não quis usar no jogo. Preferiu que pendurassem na lateral direita da cadeirinha, porque usar o boné bagunçaria o topete que a mãe dele demorou pra ajustar…

Outra coisa que demorou pra se ajustar foi o Grêmio em campo. Que susto! Duas vezes o Ceará ficou na frente. Entretanto, isso não foi problema. Estava na Arena o mais novo pé-quente tricolor. A virada veio a galope! Com gols de Geromel, Thonny Anderson e Luan. Consegui até filmar o espetacular gol de falta do Luan com o extra de pegar o Júnior comemorando. Ele pulava na cadeira, batia palmas, era só alegria. Lindo de ver. Inesquecível.

Aliás, também é lindo de ver o que o Desejo Azul faz com essas crianças. Eles transformam a paixão de milhões de gremistinhas em esperança. Colocam a força da imortalidade tricolor em apoio a quem precisa de um pouco de incentivo para seguir lutando.

Eu manifestei meu interesse em ser voluntário porque aqui no Hospício somos todos loucos, mas somos loucos do bem. Loucos pelo Grêmio. Poderia ter bem maior? Foi bem simples: mandei um email manifestando o desejo de ser voluntário para contato@desejoazul.org com meu nome, cidade e telefone. Feito, logo recebi retorno do Eduardo, presidente do Instituto.

Não preciso nem dizer que vale a pena. Na verdade, é bem díficil descrever a sensação. Poderia resumir em: tu acha que vai ajudar a realizar o desejo de uma criança, e no fim quem sai realizado é tu mesmo. Com a cereja do bolo de envolver a paixão pelo Grêmio nisso tudo. É lindo, inesquecível. Imortal.

Saudações!

 

FRANZ CISCO 

*Os nomes foram alterados para resguardar a identidade dos envolvidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: