DECISÃO É TODO DIA

Sextou, amargamente…

Como de costume, cá estou eu, Cisco, escrevendo minha coluna semanal, publicada toda sexta-feira. Sexta é dia de trago, de loucurada, de alegria… de pedir liberação pra Dra. Rosalinda, chamar o Egídio, o Bêla e o Jack pra tomar umas. Porém, essa sexta tá amarga.

Semana passada escrevi sobre a chegada do Brasileirão. Que tínhamos elenco pra ir forte. Que queria essa taça, que queria a Liberta também, e quem sabe a Copa do Brasil.

Desde lá, dois jogos pelo Brasileiro, 6 pontos totalmente conquistáveis que se confirmaram em apenas 1. E o pior, atuações fraquíssimas. Principalmente a da última quarta, Dia do Trabalho, dia em que fizemos um péssimo trabalho contra o Avaí.

Sobre o elenco. Na ocasião, escrevi que nosso elenco tá forte. No início do ano, depois do “fechamento da janela de transferências”, o grande consenso entre a gremistada era de que nosso elenco era mais forte que o dos anos anteriores.

Reparem que estamos comparando com anos como 2018 (semi da Liberta), 2017 (Tri da América) e 2016 (Penta da Copa).

Também era consenso que o único setor enfraquecido, comparado ao ano passado, era o setor “goleiro”. Afinal, havíamos perdido ninguém mais ninguém menos que Marcelo Grohe.

Na prática, hoje posso afirmar que o único setor que não é questionado é o próprio gol. Paulo Victor é a parte mais sólida do nosso time. Claro, a dupla de zaga também não é contestada, mas vemos ela muito mais exposta que nos anos anteriores, e isso acaba afetando. Sem contar que não temos zagueiro reserva (Paulo Miranda, volta logo!), o que deixa tudo mais grave.

Nem quero entrar no mérito de comparar todos os setores com os anos anteriores. O que mais me assusta nem são as peças, mas sim a composição tática e a ATITUDE.

Time apático, monótono. Fez umas três boas partidas no ano. Se salvou muitas vezes pelo brilho individual do Cebolinha.

A verdade é que o Grêmio de 2019 tá rondando um futebol nota 6 e achando que a qualquer momento vai passar a jogar um futebol nota 10, ao natural.

Nosso time tem que botar na cabeça que se não jogar no máximo, se não der 100% em campo, não brilhará. Vamos cair na real: infelizmente estamos longe do “Grêmio Show” que estávamos acostumados.

Renato tem crédito e é excelente treinador. A direção tem crédito e tem feito um excelente trabalho. Confio muito na comissão técnica e na direção.

É hora de acordar. A decisão não é só quarta que vem contra o Católica. É contra o Fluminense domingo pelo Brasileiro também. Decisão é todo dia, nos treinos, no dia a dia.

Acorda, Grêmio!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: