Capítulo Três – Nick Hornby – Os melhores cronistas esportivos e escritores do futebol mundial e porque você deve lê-los

Mais um! Outro autor recomendado para vocês.

Estávamos nas últimas vezes que nos encontramos aqui no Hospício (obrigado pela visita, sempre bem-vinda), falando sobre alguns excelentes cronistas que escrevem sobre futebol pelo mundo, e espero que você já tenha percebido a diferença de qualidade entre o bom produto que os estrangeiros recebem, e o que as nulidades egocêntricas no Brasil escrevem, especialmente no RS. Mas agora vou pegar pesado com aquele entre vocês que ainda se encontra um pouco cético e achando que não é bem assim, que a imprensa gaúcha não é tão desqualificada e blablabla… Quero apresentar Nick Hornby, torcedor fanático do Arsenal, formado em literatura inglesa em Cambridge e duas vezes nomeado ao OSCAR… Só para dar uma introduçãozinha… Com vocês…

3. Nick Hornby
O futebol tem sorte de ter um escritor como Nick Hornby do seu lado. Seu livro Fever Pitch (Que em português significaria algo como Febre de Campo, mas recebeu a tradução de Febre de Bola), é uma das melhores coisas já escritas sobre o mundo dos aficionados pelo esporte. O estilo único e a escrita amigável de Hornby é capaz de tornar o livro interessante não apenas para as pessoas que amam o futebol, mas para fãs dos mais diversos graus de ligação com o jogo. É o tipo do livro que eu indicaria para você presentear aquela pessoa em que está interessado, mas que te olha um pouco desconfiado por te achar muito fanático. Claro que as crônicas e textos de Hornby incluem muito mais do que este livro. Por exemplo uma crônica sobre o relacionamento complexo e complicado que muitos fãs ingleses possuem com sua seleção (se identificou?). Claro que esta história é contada bem no estilo de Nick, com muito de suas observações pessoais, cheio de cumplicidade com o leitor e pitadas de tiradas afiadas e inteligentes.
Nick nasceu em Surrey, Inglaterra, em abril de 1957 e cursou literatura inglesa na famosa faculdade de Cambridge. Trabalhou como professor, como Host na Inglaterra para executivos estrangeiros da SAMSUNG, jornalista e crítico de música para a Revista New Yorker. Recebeu indicações ao Oscar por seus roteiros em AN EDUCATION e por BROOKLYN.
Seus livros mais famosos High Fidelity, About A Boy e A Long Way Down receberam filmagens de Hollywood e arrecadaram muitos milhões de dólares, com grande sucesso (Sim, Nick hoje é um milionário e uma celebridade na Inglaterra e no mundo literário).

Trechos de Nick Hornby

“Para uma fatia alarmante e muito grande das coisas do dia-a-dia, eu sou uma besta.”
Nick Hornby, Fever Pitch
“Eu me apaixonei pelo futebol como mais tarde viria também a me apaixonar pelas mulheres: subitamente, inexplicavelmente, sem critério, e sem pensar na dor ou no transtorno que isto iria trazer.”
Nick Hornby, Fever Pitch

“Sempre fui acusado de levar as coisas que eu amo – futebol, claro, mas também livros e discos – muito à sério, e eu realmente sinto um tipo de raiva quando ouço um disco ruim, ou quando alguém é indiferente sobre um livro que significa muito pra mim.”
Nick Hornby, Fever Pitch

“…Então por favor, seja tolerante com aquele que descreve um momento esportivo como o melhor de sua vida. Nós não sofremos de falta de imaginação, nem temos vidas secas e tristes; acontece apenas que a vida real é mais pálida, mais maçante, e contém menos potencial para o delírio inesperado.”
Nick Hornby, Fever Pitch

“Ficando mais velho, a tirania que o futebol exerce sobre a minha vida, e por consequência sobre a vida das pessoas a minha volta, é menos razoável e menos atraente. Família e amigos sabem, depois de longos anos de cansada experiência, que a tabela de jogos tem sempre a última palavra sobre qualquer compromisso; eles compreendem, ou ao menos aceitam, que cerimônias natalinas ou casamentos ou qualquer reunião, que em outras famílias iriam ter inquestionável preferência, somente podem ser marcadas depois de uma consulta. Então o futebol é considerada uma deficiência permanente que tem que ser contornada. Se eu estivesse preso à uma cadeira de rodas, ninguém próximo a mim iria organizar nada que fosse em um apartamento no último andar, então porque iriam planejar algo em uma tarde de sábado no inverno.”
Nick Hornby, Fever Pitch

“O que me impressionava demais era como a maioria dos caras ao meu redor detestava, realmente detestava, estar lá. Até onde posso dizer, ninguém parecia apreciar, da maneira que eu entendo o conceito, nada do que acontecia durante a tarde toda. Em alguns minutos depois do pontapé inicial havia raiva verdadeira (“Você é uma DESGRAÇA, Gould. Ele é uma DESGRAÇA!’ ‘Cem libras a semana? CEM LIBRAS A SEMANA! Eles deveriam pagar isso para mim assistir você’); durante o decorrer do jogo, a raiva se tornava num ultraje, e então parecia cristalizar em um silêncio descontente. Sim, sim, eu conheço todas as piadas. O que mais eu poderia esperar em Highbury (bairro de Londres onde fica o estádio do Arsenal)? Mas eu estive no Chelsea e no Tottenham e no Rangers, e vi a mesma coisa: que o estado natural do torcedor de futebol é um desapontamento amargo, não importa qual seja o escore. ”
Nick Hornby, Fever Pitch

“Eu aprendi coisas através do jogo. Muito do meu conhecimento de locais na Grã-Bretanha e Europa não vem da escola, mas de jogos fora ou páginas de esportes, e o hooliganismo me deu ambos um gosto pela sociologia e um grau de experiência de trabalho aplicado no campo. Eu aprendi o valor de investir tempo e sentimento em coisas que eu não posso controlar, e o de pertencer a uma comunidade cujas aspirações eu compartilho de forma total e incondicional.”
Nick Hornby, Fever Pitch

“Poucos de nós escolhemos nossos clubes, eles simplesmente nos foram apresentados; e então eles caem da Segunda Divisão para a Terceira, ou vendem seus melhores jogadores, ou compram jogadores que você sabe que sequer sabem jogar, ou levantam a bola setecentas vezes para um centroavante de quase três metros de altura, nós só xingamos, vamos pra casa, nos preocupamos por quinze dias e então voltamos a sofrer tudo novamente.”
Nick Hornby, Fever Pitch

Nick Hornby no estádio do Arsenal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.