Análise da primeira fase da Copa do Mundo

Enquanto esperamos o próximo jogo do Grêmio, vamos examinar eventos um pouco menores, como a próxima Copa do Mundo.

 

ANÁLISES

GRUPO A: Equilíbrio, e dois times fracos.

O jogo de abertura da Copa do Mundo será Rússia contra Arábia Saudita, ou em outras palavras, os dois piores times do torneio, de acordo com o ranking da FIFA. Apesar disto, o grupo é bem equilibrado. O Uruguay tem expectativa de se juntar aos 16 remanescentes, Rússia e Egito sonham em estarem junto.

GRUPO B: Dois favoritos e nenhuma garantia.

Não ficou tão ruim quanto poderia ser para Portugal e Espanha. Ambos tem boas expectativas de passarem adiante – apesar de que não se pode subestimar o Marrocos — num grupo que ainda inclui o Irã. Terminar em primeiro neste grupo pode ser crucial para a sorte da equipe nas fases decisivas, conforme forem se definindo os cruzamentos.

GRUPO C: O grupo dos sonhos da França.

Se os franceses tivessem imaginado um grupo ideal, teria sido este. Peru era um dos times mais fracos da segunda rodada no sorteio, Austrália nem tinha treinador e a Dinamarca não deve ser grande desafio. A luta pelo segundo lugar vai ser interessante.

GRUPO D: O grupo mais interessante, com certeza.

Provavelmente o mais equilibrado, interessante e competitivo grupo da Copa. Argentina é qualificada, Croácia com abundância de talentos individuais, Islândia com tremenda força coletiva e Nigéria, possivelmente, o time mais forte da quarta rodada do sorteio. Argentina não vai ter vida fácil.

GRUPO E: Uma batalha pelo segundo?

Brasil nem perto terá a felicidade da França. Sérvia, Suiça e Costa Rica são relativamente fracos, em comparação aos selecionados de Tite. Apesar disto, a batalha para seguir o canarinho nos 16 classificados será fascinante. Não há muita diferença técnica entre estes times. Infelizmente também não devemos ter muitas diferenças no placar de gols marcados…

GRUPO F: Os atuais campeões estão contentes.

Assim como França e Brasil, a Alemanha não pode reclamar. A Suécia é um time dedicado, mas limitado e nem Coréia do Sul, nem México tem qualidade para oferecer resistência aos vencedores da última copa.

GRUPO G: Dois favoritos e dois azarões.

Deve ser uma disputa acirrada entre Inglaterra e Bélgica para ver quem fica na primeira posição e, por consequência, ter vantagem hipotética na próxima fase. A principal vantagem de Panamá e Tunísia é que, até certo ponto, são desconhecidos.

GRUPO H: O grupo mais aberto de todos?

Juntamente com Grupo A, o Grupo H parece ser o mais homogêneo. A Polônia estava entre os mais fracos de sua faixa no sorteio, e a Colômbia possui esperanças de terminar em primeiro. Japão e Senegal encaram a passagem de fase como uma expectativa real.

O que dizem as casas de apostas sobre a Copa do Mundo

Alemanha e Brasil começaram como favoritos nas apostas.

Você acha que com a ausência da seleção Americana na Copa o pessoal está totalmente desmotivado por aqui nos USA? Não se apresse nas conclusões, caro amigo leitor. Muita gente não abre mão de assistir aos jogos com a emoção da torcida e atinge este objetivo apostando nos vencedores, mesmo que sua seleção não esteja na disputa.

Alemanha e Brasil começaram como principais favoritos logo após o sorteio e assim tem se mantido com flutuações eventuais, pagando 5 para cada 1 apostado (5-1), de acordo com a British bookmaker Paddy Power, que também rankeava França (6-1), Espanha (13-2) e Argentina (8-1) como principais pretendentes ao título. O dono da casa, a Rússia, ficava com 33-1.

Islândia saiu com chance de 100-1. Empatados ficaram a Tunísia, Arabia Saudita e Panamá, com impressionantes 500-1.

Uma aposta arrojada? México pagava logo após o sorteio 100-1.

Este é um dos rakings de hoje, que variam de acordo com a casa de aposta e o número de palpites.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: