A VERDADE SOBRE O GREMIO X LANÚS

O que a IVI não te conta…

Em meio à Copa do Mundo, veio a notícia de que a Conmebol, esse luminar da correição e honestidade, aplicou multa de U$ 65,000.00 no Grêmio por conta de um expediente apresentado pelo Lanús após a final da Libertadores. Segundo o time argentino, os torcedores gremistas teriam destruído instalações sanitárias (que, pelo valor, deviam ser fabricadas em porcelana de Sèvres, cristal da Boêmia e mármore de Carrara) e, após “criteriosa análise”, concluíram pela culpa e aplicaram a multa.

A imprensa esportiva gaúcha, porém, pouco falou do fato, seja por conta da copa do mundo, já que eles estavam em franca ovulação pelo Frangalli55on Rosácea e pelo Aperta-Pontas, seja porque lhes faltou vontade de apurar a verdade e apontar a parcialidade e a estranheza do procedimento da “autoridade” sul-americana. Nenhum jornalista foi apurar a história, nenhum jornalista trouxe a público as questões relevantes ou pôs em dúvida essa multa. Enfim, IVI, como sói acontecer, faltou com a verdade. Nós, então, do Hospício Tricolor, fizemos nosso ofício e trazemos a todos os fatos.

Claro que as questões entre o Grêmio e a Conmebol remontam ao episódio envolvendo a arbitragem e o VAR, em que o Grêmio, sentindo que seria prejudicado, montou um dossiê detalhado e tornou-o público. Fez o que deveria fazer: expôs a verdade. Bem sabemos que esses dirigentes têm aversão à transparência e aos fatos tal e qual são. Igualmente, àquela altura, a direção o tricolor desnudou o que todos sabiam: a influência nefasta que a federação argentina tem na Conmebol e, particularmente, do Lanús, cujo presidente, Nicolás Russo, que pertence ao comitê executivo da AFA. Alejandro Marón, ex-presidente do Lanús, foi assessor jurídico da conmebol, e chegou a ser cotado para presidir a AFA com o apoio da Conmebol. E ainda o está, diga-se de passagem.
O Lanús apresentou expediente no dia 18 de dezembro de 2017 e, na peça, trouxe o relato dos supostos danos causados em todo o estádio, incluindo banheiros, armações, portões, piso (!), cadeiras e pintura. O relatório trazia fotos e era extremamente bem detalhado. E havia, igualmente, o orçamento de sessenta e cinco mil dólares para o reparo de todos os “estragos”. O Grêmio foi notificado em 28 de fevereiro de 2018 e apresentou sua defesa.

Notem o seguinte: houve sim estragos causados por torcedores. Infelizmente, ainda há torcedores que não aprenderam a comportar-se e causam, dessa maneira, prejuízos ao clube. Não estamos defendendo o comportamento indefensável desses vândalos. Estamos denunciando o abuso institucional. Entretanto, embora tenha ocorrido depredação, sim, esta não foi o Armagedão que os argentinos apresentaram. E quem esteve naquele estádio pôde observar o estado deplorável em que se encontrava, passando a impressão que o relatório trouxe os danos que realmente foram causados pelos irresponsáveis, mas, da mesma forma, foi uma chance que se aproveitaram para reparar o decrépito estádio daquele clube de bairro.

E vejam: o tratamento que a torcida, jogadores e diretoria receberam naquele lugar foi abaixo da crítica. Desrespeito é o mínimo que podemos dizer. Patético e ridículo! Os torcedores tiveram acesso dificultado, bretes, maus-tratos, violência, instalações sanitárias precárias… E houve questões até em relação à diretoria, por exemplo. As pocilgas que eles chamaram de “camarotes” eram insalubres. Os nossos dirigentes tiveram acesso dificultado ao máximo, alguns sendo impedidos de chegar. Havia cerca de cem pessoas que foram “atochadas” em 2 “camarotes” (na Arena, eles tinham recebido três camarotes, de verdade) cuja capacidade máxima seria de 30 em cada, e isso com muito boa vontade. E sabe o que mais? Em meio à partida, desligaram os aparelhos de ar-condicionado, tornando o ar irrespirável e o calor insuportável.

Isso, porém, foi o ápice de um comportamento aético e anti-desportivo da diretoria do Lanús. Aqui, a diretoria do Grêmio, respeitando a tradição da Libertadores, recebeu-os com tapete azul, ofereceu um jantar em restaurante de excelente nível, espetáculo temático, oferecemos brindes e presentes alusivos ao Grêmio e ao Rio Grande do Sul. Em Buenos Aires, os diretores do Lanús quebraram essa tradição e nem mesmo receberam os dirigentes gremistas.

Esse é o clube que tem influência na AFA e na Conmebol. Esse é o clube que fez todas as reclamações. Justiça seja feita, houve, sim, depredação nos banheiros. Foi algo feio o que foi feito. Insistimos: enquanto houver esses baderneiros disfarçados de torcedores, a coisa não evoluirá. Para que destruir? Sabe-se que quem pagará será o Grêmio que, ainda, poderia mesmo ter sido punido ou mesmo suspenso! Imaginem se isso tivesse ocorrido, o incalculável prejuízo. No entanto, embora tenham ocorrido danos, os banheiros já estavam em situação deplorável, as instalações vetustas eram indignas e perigosas. E estamos certos que o Lanús viu aí a oportunidade de fazer uma reforma às nossas expensas.
E da onde vem um ranço tão grande contra nós? Tudo porque a nossa diretoria expôs o esquema ligado à arbitragem em que o responsável pelo VAR na partida seria um argentino ligado ao Lanus ainda por cima. Evidentemente que a intenção era nefasta. E, depois, houve o preparo e envio da denúncia a diversas entidades e patrocinadores. E isso eles não perdoarão. E lembrem-se que, no RS, a imprensa ficou unida contra o Grêmio, com Pedro Jabba eructando que ficávamos de choro ao invés de jogar, com Diogo Pipoca, em programas nacionais, dizendo que houvera exagero e com Guerrinha defendendo que o Grêmio fosse punido!

O Grêmio apresentou recurso, mas dificilmente isso será revertido porque o tal tribunal de penas da Conmebol é, na prática, a mesma instância, já que são os mesmos que apenaram da primeira vez que podem rever a medida e isso dificilmente acontecerá. Resta-nos, sempre, clamar aos verdadeiros torcedores, ao irem a estádios adversários, para que tenham consciência que seus atos pessoais refletem-se no clube e as consequências são enormes e muito perigosas.

Essa é a história, essa é a verdade. Esse são os fatos omitidos pela IVI e as considerações que vocês nunca verão no mundo mágico da isenção vermelha. Entretanto, aqui no Hospício Tricolor, mesmo não sendo jornalistas, nós investigamos e trazemos a verdade para todos os gremistas porque, afinal, nós queremos que a verdade triunfe e prevaleça, já que temos caráter. Pedimos, então, aos amigos tricolores que partilhem e espalhem esses fatos o máximo possível para que, em uma próxima oportunidade, a coisa se passe de maneira diversa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.