A MAIS VELHA TÁTICA DA IVI ATACA NOVAMENTE

Há algum tempo vimos preferindo, nos textos aqui do Hospício, ignorar a IVI. Deixá-la chafurdar na própria excrescência pareceu-nos uma boa política e, assim, dedicamo-nos a textos em que resgatamos um pouco das memórias do clube e de grandes jogadores dos anos 30, 40, 50 e 60, bem como conquistas como a nossa primeira libertadores ou as copas do Brasil de 1994 e 1997. Continuaremos com esse propósito por algum tempo e, na semana que vem, seguiremos a sequência. Essa semana, todavia, tivemos de vir comentar as últimas deles. Vão-nos desculpar os amigos leitores, mas não resistimos e, por conseguinte, decidimos vir aqui desabafar com todos e pontuarmos nossa indignação.

Ontem goleamos o Botafogo Futebol e Regatas. Goleamos o Botafogo em tarde de gala, apesar da chuva. O placar elástico de 4 a zero não refletiu o massacre que foi em campo. Em verdade, não fosse a torrencial chuva que praticamente tornou o campo uma charneca, teríamos marcado mais dois golos muito facilmente. Tanto que lá pelos 33 minutos, o que seria o quinto gol não aconteceu porque a bola parou na frente do gol vazio em uma poça d’água.

Aliás, antes de prosseguirmos, cabe aqui rápido parêntesis: alô, responsáveis da Arena, por que esse gramado? Por que não se resolve isso? Falta competência à agrônoma responsável? É caso de rescisão contratual da empresa que cuida do gramado? Já é hora de recuperar o viço do que já foi o melhor gramado do Brasil. Bem sabemos que choveu ininterruptamente desde quinta-feira (nós também estávamos debaixo d’água), mas essas intempéries e intercorrências climáticas são normais e deveriam ter sido previstas. Algo errado não está certo, diria aquele célebre gaúcho, o Barão de Itararé. Vamos dar um jeitinho nisso aí, se faz favor.

Depois da digressão agronômica, voltemos ao jogo de ontem e à IVI. Pois bem, o Botafogo foi goleado porque o Grêmio foi superior os 90 minutos, esteve em ampla superioridade técnica, soube marcar e não abdicou da ofensividade em nenhum momento. O time carioca, a seu turno, além da inferioridade patente, da total ausência de marcação e de uma zaga infantil, não tinha qualquer talento individual que pudesse fazer frente aos nossos jogadores. Luan esteve muito bem, com desempenho incrível e foi cabal para a vitória. Jael e Everton também foram acima da média e nem precisamos mencionar Allison, o jovem que, sinceramente, não pode ser sacado da titularidade. Os gols de ontem de Jael, Allison e André repetem outro placar, também em setembro, mas de 2006, ainda no Olimpico, que com gols de Rafinha (1) e de Rômulo (3), aplicamos os mesmos 4 a zero em cima do alvinegro carioca.

E aí, Srs., o que vemos nas manchetes, ao invés dessa análise técnica ou tática? Uma falsa polêmica sobre pênaltis e que o Grêmio seria o “líder” nesse ranking de pênaltis favoráveis. Calhordice extrema assinada por Diori Piu-Piu Vasconcellos, o Vermelho Sem Rubor, dá a entender que o Grêmio tem sido indevidamente favorecido pela arbitragem.
Sim, Srs., o impávido comentarista da arbitragem foi “cirúrgico” igual àquele falso médico goiano preso no Rio de Janeiro. Diori entende tanto de arbitragem e futebol quanto o Dr.Bumbum entende de cirurgia plástica. Ele insiste em ignorar que os penais que foram marcados a favor do Grêmio foram todos legítimos. E vou-lhes mais dizer: na partida de ontem, ainda teria ocorrido um terceiro pênalti em cima do Jael e que foi ignorado pelo árbitro. Ocorre que o Sr. Diori não quer a verdade, quer a versão deturpada por colorado que é! Ele chega ao cúmulo de dizer que o Grêmio tem a sorte de ter para si marcados penais que, habitualmente, os juízes não marcam. Isso é a mais pura e iviana lógica cachorra. Acaso um penal não marcado, apesar do que diz a regra, por omissão habitual dos juízes torna-o menos infração? Claro que não! O problema é que o Sr. Diori está acostumadíssimo com o padrão FGF de arbitragem, é um defensor ferrenho do padrão Novelhaco de qualidade e, assim, desqualifica-se para qualquer comentário sério. Ou esquecem os amigos que ele não viu qualquer um dos três penais que nos foram sonegados em Gre-nal? Ah, pois é…

Sabem por que essa linha de textos? Pela mesma razão do recomeço da campanha de “adversários fracos na Libertadores”: para desmerecer quaisquer títulos. Ora, se ganharmos o Brasileiro (e nós, particularmente, como já dissemos, gostaríamos de ganhá-lo), eles já terão o discursinho pronto, o mantra do favorecimento, papagaiada que eles e o resto da cáfila vermelha adotarão até o final dos tempos. Olhem se não há pauta orquestrada, dando a impressão de combinação prévia: ao mesmo tempo comentaristas da RBS e da nal-nal saíram com “análises” sobre “excesso” de pênaltis marcados no dia seguinte do jogo no qual marcaram dois penais legítimos a nosso favor (e deixaram de marcar um). Tal e qual no dia seguinte da nossa vitória na Libertadores contra o Estudiantes, O capitão e o presidente da IVI, o primeiro na nal-nal e o segundo cedo, na rádio da IVI da Ipiranga, vieram, em perfeita harmonia de idéias, falar que o Tucumán era time de segunda divisão, era muito fraco e por aí fora. Indagamos duas coisas singelas: primeiro, se são times fracos e estão na Libertadores, o que seriam os times que não estão lá? Segunda pergunta, por que a mesmíssima pauta recorrente (pior real madri de todos os tempos, times fracos na libertadores etc) e coincidente em diversos veículos que, em tese, competem entre si?

Enfim, meus amigos, a estrada ainda é longa, mas eles já têm sofrido enorme baque em suas audiências eis que muitos gremistas acordaram e não os consomem mais. E temos de fazer isso ainda mais intensamente. Consumam as mídias e blogs gremistas, verdadeiramente gremistas, sem jornalistas da IVI infiltrados ou morangos imiscuídos. Selecionem as informações que ouvem e, antes de tudo, sejam criteriosos.

No mais, é torcermos para continuarmos em boa campanha no Brasileiro. Como disse o RW em seu blog, nós também acreditamos: temos o Santos e os morangos na sequência. Podemos, sim, faturar seis pontos e colocarmo-nos definitivamente na briga. Não me interessa liderança na 20ª rodada. Quero liderança apenas ao final de uma rodada: a 38ª.

Um comentário em “A MAIS VELHA TÁTICA DA IVI ATACA NOVAMENTE

  • 3 de setembro de 2018 em 10:40
    Permalink

    O Grêmio tem mais pênaltis marcados porque é o time que mais ataca, que tem mais posse de bola e os atacantes e meias têm ótima retenção de bola. Isso é estatístico.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: