A IMPORTÂNCIA DO SEU NOME

Nomes são mais do que apenas importantes, são fundamentais.

Na bíblia há a história de que ABRAM que ao assumir seu papel de fundador da nação muda o nome para ABRAHAM, que em hebreu significa algo como “Pai de Multidões”.

Um estudo americano da Universidade de Colúmbia descobriu que o percentual de pessoas chamadas DENNIS entre os dentistas era surpreendentemente alto, incompatível com a quantidade de pessoas com o mesmo nome na sociedade (em inglês Dennis e Dentista possuem pronúncia muito parecida, algo como em português seria Pedro Pedreiro).

Em 2008 outro estudo, este da Universidade de Michigan, relatou que pessoas que possuíam nome com a primeira letra do nome idêntico ao do nome de determinado furacão, tinham chances muito maiores de se tornarem contribuintes para o esforço de reconstrução. Por exemplo alguém chamado ROBERTO teria maiores chances de fazer doação para o auxílio dos atingidos pelo furacão RUTH do que, digamos, um sujeito chamado Marcelo.

Frederik Anseel, professor da Universidade de Ghent e especialista na área refere que:

“Achamos que é importante considerar que as pessoas não fazem sempre escolhas racionais para as importantes decisões nas suas vidas” diz ele.

“Gostamos de pensar sobre nós como seres racionais tomando decisões após deliberar seriamente sobre os prós e os contras ao escolher um emprego, mas nossa pesquisa mostra que outros fatores podem influenciar sem que sejamos conscientes deles.”

O nome pelo qual algo ou alguém é referido é uma das primeiras impressões que farão as expectativas dos outros serem criadas, e é bem sabido, o ser humano tende a agir conforme estas expectativas externas.

Nunca esqueci quando um amigo meu reuniu a turma de guris do colégio e pediu que parássemos de chamá-lo de “Morto” (até então seu apelido). Então com 16 anos, era de se imaginar que o apelido fosse até ganhar força porque na adolescência não se tem compaixão. Mas o argumento dele nos tocou: “Imagina vocês, eu conheço uma guria e ela se interessa por mim, ai vem alguém e me chama de Morto… Qual guria vai querer ficar com o Morto!”. Daquele dia em diante, virou “Beto”. Nomes possuem o condão de forjar o seu futuro!

Isto nos remete ao futebol. Não sei se vocês lembram, mas já tivemos épocas em que os times eram repletos de “Rincóns”, ou de “Mazinhos”. Mais recentemente temos “Valdivia” fake, sem falar na quantidade de jogadores africanos que se chamavam “Pelé”. Copiar o nome de alguém famoso é uma forma de copiar o destino, ao que parece, no imaginário popular (e agora sendo explicado pela ciência também).

É certo que jogadores com nome de João, Pedro ou Paulo dificilmente se destacam na multidão, sempre tendo que ser complementados por outro nome, o estado de nascimento ou um apelido qualquer. Mesmo assim jogadores como PICACHU deixaram notoriamente de serem contratados porque o nome poderia ser tido como vexatório. Outro exemplo foi o jogador CARAGLIO que chegou a ser cogitado por diversos times brasileiros, que desistiram em face dos trocadilhos que inundaram as redes sociais.

E quanto aos Clubes de Futebol podemos dizer o mesmo.

Tomando nosso caso o nome Grêmio significa agremiação, união, reunião e associação. É um clube que, desde sua fundação, teve o condão de reunir etnias (fundado por alemaes, teve o primeiro negro no time em 1913, um fato raro na época), reunir diversidade sexual (o clube que apoiou uma torcida como a COLIGAY em plenos anos 70, quando a ignorância ainda era maior que hoje), reunir os ricos e pobres. Apesar de ter passado recentemente por um período de baixa em conquistas, jamais ficou atrás de seu mais tradicional adversário em matéria de número de torcedores. Ao contrário, hoje é amplamente dominante em todas regiões e classes sociais. Inclusive fora do RS!

Sem dúvida o simpático nome GRÊMIO congrega, reúne e associa.

Já outros clubes que possuem nomes que dão a entender que são internacionais, mas que somente em 2006 realmente conquistaram algo fora do Brasil (ou seja, quase 100 anos de expectativas falsas), ficaram marcados por falsificação de documentos, arrogância e por tratar a verdade como uma versão imaginária da realidade, a famosa bolha. A alienação culmina com a suspeita de compra de opiniões na imprensa, para outra vez criar falsas expectativas. Sem dúvida uma das máculas é histórica, um clube criado como sombra do original, pelos que invejavam. Mas também o nome ilegítimo e irreal deve ter feito papel fundamental nestas características vexatórias.

Enfim, continuem batizando seus filhos de Geromel, de Luan e Everton. De Arthur, de Renato e Luiz Felipe. No mínimo será um bom augúrio para a criança, e pode ajudar a forjar um futuro gremista de bom-caráter.

 

Um comentário em “A IMPORTÂNCIA DO SEU NOME

  • 30 de maio de 2018 em 12:42
    Permalink

    Muito Interessante a analogia! Então fiquei pensando se o nome Andrea, que é Italiano e masculino, quando usado na América Latina e no plural, possa significar “Indivíduo xiquilento e guampudo”, será?

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: