A grande falha de Renato

E é imperdoável.

Dizem que a fruta não costuma cair longe do pé. Existem vários exemplos que confirmam essa tese, assim como tantos outros que negam o fato. Sem entrar nos prós e contras, cabe apontar aqui a grande falha de Renato Portaluppi.

A verdade é que o maior ídolo da história do Grêmio comete erros. Sabemos disso. Porém, quase todos são perdoáveis, porque se ele já era de outro nível com dois gols numa final de Mundial, como naquele 11 de dezembro de 1983, voltar para “casa” e tirar nosso Tricolor de um hiato sem títulos, dar o Penta da Copa do Brasil e o Tri da Libertadores, sendo agora treinador, o colocam na condição de deus (já pedi perdão aqui outrora pela heresia, embora futebol seja minha religião).

Entretanto, sim, há uma situação que pensando aqui, na silenciosa cozinha do Hospício, me deixa frustrado. Se lá pelos anos 90, o galã do Carnaval carioca, o Rei do Rio, o “colecionador” de capas da Playboy, o garanhão de Guaporé, tivesse ao menos engravidado uma das mais de cinco mil mulheres que com ele foram para cama, hoje teríamos um atacante de vinte e poucos anos, correndo pela ponta, cortando para dentro, finalizando de maneira quase perfeita e, quem sabe, vestindo a camiseta Tricolor, nos dando alegrias. Nem precisava jogar como o pai. Poderia ter uns 70% da sua habilidade, que aí estaria num nível semelhante ao Cristiano Ronaldo.

Carol e Renato Portaluppi - Instagram
Carol e Renato Portaluppi – Instagram

Sim, eu sei que ele engravidou uma jornalista. A mãe da Carol! Ela bate um bolão. Isso é inquestionável. Mas não tem como fardar em nosso escrete. No máximo nos deixar babando com suas fotos no Instagram. Contudo, ela não tem irmão por parte de pai. Eis a grande falha de Renato Portaluppi.

Abraços,
Gui Zado, o Cozinheiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.