A FRANÇA CAMPEÃ: A premiação de uma visão consciente

Parabéns à equipe francesa e ao seu jovem elenco. Foi pragmatismo e eficiência.

Parabéns ao time que fez uma campanha regular e reflete uma especial coroação de uma excepcional política de estado.
Sim, porque para que não fiques repetindo bobagens sobre jogadores estrangeiros na equipe da França, vamos aos fatos.

Sabias que, nessa copa, houve, em diversos times, jogadores nascidos na França? Mais de 50 jogadores de diversas seleções eram nascidos na França, eram binacionais.

E por que a França virou esse celeiro de bons atletas? Novamente, a política de incentivo ao esporte, em especial ao futebol, levada a cabo pelo Estado francês e pela Federação Francesa.

Ora, já há muitos anos (porque essas políticas são temporais, necessitam de tempo para frutificarem). Em todos os cantos do território francês, incluindo os domínios e os territórios de ultramar, clubes menores têm técnicos profissionais de primeira linha subsidiados pelo Estado. O governo auxilia clubes a qualificarem seus técnicos, anos de estudos, o que aumenta a qualidade dos campeonatos e das exigências, bem como são olheiros.

Também foi aberta a Académie Nationale de Clairefontaine. Para ali são enviados os jovens acima de treze anos indicados por esses profissionais que o próprio estado e a federação (ente privado) formaram e qualificaram. Todos esses jovens têm nacionalidade francesa e vêm das periferias de Paris, Lille, Lyon, Dijon, Marseille, Nice, Bordeaux, Nantes… E também explica o motivo da grande quantidade de descendentes de imigrantes das ex-possessões na equipe. Assim, investe-se na base! E mais: os passes são da ANC que, por exemplo, recusou-se, por não os considerar maduros, a liberar os passes de Mbappé e Kanté.

Com essas providências simples, cresceu a qualidade do campeonato francês e redorou-se a pílula des Bleus.

Isso vai no mesmo sentido do que defendemos para o Grêmio: uma base sólida, estruturada e comprometida com sua seleção. Que diferença para a nossa seleção brasileira! Que diferença para a atuação da CBF, sempre pronta a envolver-se em tudo de ruim e que gasta milhões em purpurina, mas investe pouco e mal no futebol brasileiro.

É, portanto, claro o caminho que levou a França à vitória. Não foi sorte, o juiz ou qualquer bobagem destas, foi o mérito. Isso é importante que se diga. Foi o compromisso com o país, com a seleção e com o resultado. A única coisa que cabe aqui é parabenizá-los. Félicitations à la France. Allez les Bleus!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: