A CERA, A RETRANCA, A RAIVA DE PERDER PONTOS EM CASA PARA PEQUENOS

Novamente um ferrolho, 5-4-1, contra o melhor toque de bola do Brasil.

Na cozinha aquele relógio de pilha do camelô tiquetaqueava e me irritava ainda mais, entre um “passou perto a bola do Éverton”, “defendeu Julio César”, “ele não deu a falta, mandou seguir o jogo o árbitro”, com a luz apenas da televisão de tubo 14 polegadas. Sim, sem entender, mas assisti Grêmio e Fluminense no Canal 12. Incrivelmente, quando é para tirar público da Arena, eles (IVI) fazem de tudo. Abriram o sinal que era apenas para o interior e restante do Brasil também para a capital, onde situa-se nosso Hospício. Ao menos a narração não foi dos locais, embora tinha o ex-árbitro colorado radicado no Rio de Janeiro, o comentarista com cara de areia mijada secando invariavelmente e na reportagem aquele de sempre. Engraçado que foi a primeira vez que isso ocorreu no Campeonato Brasileiro. O acordo da TV com os Clubes é sinal fechado para as praças mandantes. Mas isso é assunto para outras diretrizes.

Novamente um ferrolho, 5-4-1, contra o melhor toque de bola do Brasil. Porém, dessa vez, os cariocas resolveram jogar no 2°T. Deram mais trabalho que Atlético-PR e SCI, os pequenos que anteriormente jogaram no 10-0-0, além do Paraná, em Curitiba, que também segurou um time misto da gente. Aliás, bom que se diga, não estamos conseguindo repetir escalações e sim, sentimos falta de Geromel, Arthur, Leo Moura, Ramiro, Jael. Jogamos bem melhor. O resultado justo seria 4 a 1 para nós. Falar justo, me lembra justinos, que já estão incomodando porque perdemos mais dois pontos importantes. Repito o que já escrevi em outras oportunidades: também fico p*** da cara quando não ganhamos. Sentimento de raiva é grande. Estamos acostumados às goleadas, vitórias e títulos, além de jogar diversas competições ao mesmo tempo. Terá aquele que dirá: mas agora é só Brasileiro. Sim, entretanto a conta está chegando, até porque tivemos apenas DOZE dias de pré-temporada, mesmo assim levantamos uma taça e meia (Recopa e Mini Libertadores).

Além disso, todo time que joga contra nós na Arena do Grêmio faz uma cera patética. Isso não vem de hoje e por conta da conivência de árbitros fracos, já deu até caso de polícia anos atrás, perdemos muito tempo para cobranças de tiros de metas adversários, laterais a serem cobrados, quedas despretensiosas fingindo lesão, minam a paciência do torcedor e prejudicam o andamento da partida. Quando tem acréscimo, uma chiadeira se passa de três minutos (quase nunca) ou dão seis como foi nesta quarta-feira, sendo que metade deste foi discussão e atendimento a jogador, ou seja… finalizam comemorando como título segurar o deprimente 0 a 0 covardemente. Infelizmente faz parte do futebol tal resultado. E só quem sai prejudicado somos nós.

Contudo, precisamos fazer um mea culpa também e olhar para dentro. Temos algumas dificuldades internas de elenco, apesar da excelente posse de bola, mesmo atuando de forma muito superior aos demais, sucumbimos por não chutarmos de longe e faltar algumas peças reservas (em condições de serem titulares). Certamente nossa diretoria e nosso Renato “Mito” Portaluppi já detectaram para seguirmos na luta pelo Tetra, pelo Tri e pelo Hexa, não necessariamente nesta mesma ordem. Iremos melhorar ainda mais, não tenho dúvidas. Importante ratificar, chegamos nesse tom de lamentar tais resultados, por conta das épicas e belíssimas partidas recentes, com copas levantadas. Empates com sabor de derrotas. Talvez breve possamos perder mesmo, não será anormal, embora jamais saibamos aceitar. O que não dá para cair é na esparrela da mídia e acreditar que ‘a gangorra virou’, como ousam citar alguns. Querem nos deter à tabela de classificação, onde o lado do Aterro está um ponto acima. Verdade. Com gols de xiripa em finais de jogo, erros dos adversários ridículos e sorte. Lembrando muito 2016, quando nessa mesma rodada faziam festa pela liderança com 19 pontos. Depois vimos o final de tudo.

Vou ali tirar a pilha do maldito relógio para poder dormir, porque o som do ponteiro me deixa ainda mais estressado. Passar bem!!

Um abraço, Gui Zado, o Cozinheiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: